Hóquei em patins: Liga Europeia

18-11-2011 10:33

Quatro equipas portuguesas na corrida à "final a 8"

FC Porto, decacampeão nacional, Benfica, vencedor da Taça CERS, Oliveirense e Candelária iniciam sábado a corrida à “final a 8” da Liga Europeia de hóquei em patins, prova que nenhuma equipa portuguesa vence há mais de duas décadas.
Quatro equipas portuguesas na corrida à

Por Sapo Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

Portugal é o segundo país a colocar mais equipas na elite europeia, somando apenas menos uma do que a Espanha, que venceu 19 das últimas 20 edições (os italianos do Fallonica ganharam em 2006) e está em competição com o campeão europeu Liceo da Corunha, o FC Barcelona, o Nóia, o Reus e o Vic.

A Liga Europeia, que tem quatro grupos – os dois primeiros de cada apuram-se para uma “final a 8” - conta ainda com os italianos do Viareggio, Valdagno e Lodi, os alemães do Cronenberg e Iserlohn, os suíços do Géneve e os franceses do Coutras.

Na edição de 2011/12, o objetivo das equipas portuguesas, cada uma num grupo, volta a ser a presença na fase final, a disputar em maio, e o trazer para Portugal o quinto troféu, acabando com uma seca que dura desde 1990/91.

O FC Porto, este ano sob o comando de Tó Neves, é o único clube português com dois títulos (1985/86 e 89/90), enquanto o Sporting foi o primeiro a vencer, na longínqua época de 1976/77, e o Óquei de Barcelos o último, em 1990/91.

A Oliveirense, que viu esta época José Querido substituir Tó Neves no comando técnico, tem pergaminhos na Taça CERS (venceu em 1996/97) e está no Grupo B, sendo favorita ao apuramento, face a Reus, Cronenberg e Coutras.

«Temos possibilidades para nos apurarmos. As nossas expetativas são as de marcar presença na ‘final a oito’», disse à Agência Lusa José Querido, acrescentando que «no papel, e na teoria, Reus e Oliveirense são os principais candidatos».

José Querido considera que os clubes espanhóis continuam a ser os grandes favoritos a vencer o troféu – somam 41 dos 46 títulos -, mas que seria muito bom sinal se Portugal tivesse as suas quatro equipas na fase final.

Por seu lado, os açorianos do Candelária terão pela frente o grupo teoricamente mais difícil, o A, estando emparelhados com o “super-campeão” FC Barcelona (19 troféus), o Nóia (um) e o Viareggio.

Carlos Dantas, técnico da equipa açoriana, reconhece que está num autêntico «grupo da morte», no qual o FC Barcelona deverá ter o lugar garantido e as outras três equipas terão que lutar pela segunda vaga.

«Temos sempre essa esperança (de um apuramento) e vai ser determinante ganhar os três jogos em casa e conseguir um empate ou uma vitória fora, mas o grau de dificuldade é muito grande», referiu à Lusa, sublinhando que as condições do sorteio continuam a ser pouco lógicas.

Quanto ao campeão português FC Porto, é o favorito, a par do campeão europeu Liceo da Corunha - que faltou recentemente à Taça Intercontinental com o Benfica -, a seguir em frente no grupo C, que conta ainda com o Valdagno e o Géneve.

«Temos muita motivação e queremos chegar à ‘final a 8’», garantiu, em conferência de imprensa, Tó Neves, consciente que terá pela frente uma estreia difícil, face ao Liceo: «É uma equipa bastante competente, que é campeã europeia e está no primeiro lugar do campeonato».