Ultramaratona

23-07-2014 11:27

Carlos Sá contrariou muitas razões para desistir em Badwater

O atleta de Barcelos concluiu a prova de 135 milhas (cerca de 217 quilómetros) em 26:19.03 horas, quase três horas depois do vencedor.
Carlos Sá, ultramaratonista
Foto: DR

Carlos Sá, ultramaratonista

Por SAPO Desporto c/lUSA sapodesporto@sapo.pt

O português Carlos Sá, que ficou em terceiro lugar na ultramaratona Badwater 2014, nos Estados Unidos, afirma que teve de lutar para superar as "muitas razões para desistir" na prova de 217 quilómetros.

"Tive muitas razões para desistir, mas não o fiz. Por todos vós, por esta equipa de apoio (...), por aqueles que lutam contra a doença, pela minha família, pelos meus patrocinadores. Este terceiro lugar na Badwater fez-me mais forte e mostrou-me que os limites por vezes estão dentro da nossa cabeça", declarou Carlos Sá nas redes sociais.

O atleta de Barcelos concluiu a prova de 135 milhas (cerca de 217 quilómetros) em 26:19.03 horas, quase três horas depois do vencedor, o norte-americano Harvey Lewis, e a quase duas horas do segundo, o australiano Grant Maughan.

Disputada na zona do Vale da Morte, na Califórnia, a corrida iniciou-se na baía de Badwater (86 metros abaixo do nível do mar) e terminou no monte Whitney (4.421 metros de altitude), os pontos mais alto e mais baixo do território norte-americano.

"Quem anda nestas andanças sabe que ter a coragem de se inscrever nestas provas já é uma atitude bravia, chegar ao fim é de campeão", afirmou Carlos Sá, que a cerca de 100 quilómetros do fim da corrida seguia na sexta posição.

O ultramaratonista de Barcelos, que ganhou a prova em 2013, acabaria por recuperar para a terceira posição, cumprindo um dos objetivos que tinha traçado antes de começar.

Carlos Sá acrescentou que está já a preparar a próxima prova, no final do próximo mês.

"Já estou em modo de recuperação para vos dar outra alegria em Chamonix [França] no fim de Agosto", escreveu.

Conteúdo publicado por Sportinforma