Moniz Pereira

01-08-2016 16:18

Amigos do Fado e SPA realçam o "inspirado criador" de fados

A Associação Portuguesa dos Amigos do Fado (APAF) e a Sociedade Portuguesa de Autores (SPA) lamentam a morte, no domingo, de Mário Moniz Pereira, a quem se referem como “um inspirado criador”.
Atletismo: Mário Moniz Pereira
Foto: Lusa

Mário Moniz Pereira, professor, desportista e dirigente desportivo (ex-diretor do Estádio Nacional), junto de uma foto sua acompanhado por Fernando Mamede durante a homenagem em sua honra com atribuição do seu nome à nave coberta do Centro de Alto de Rendimento de Atletismo no Jamor, Oeiras, a 10 de junho de 2014. Moniz Pereira faleceu hoje aos 95 anos de idade. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

"Era um grande contador de histórias, um inspirado criador de temas musicais, nomeadamente fados, com destaque para ‘Valeu a pena’, cantado por Maria da Fé e por outros intérpretes que fizeram dele um dos autores musicais de maior êxito em Portugal”, afirma a SPA em comunicado.

“Mário Moniz Pereira foi sempre um intransigente defensor do fado, tendo participado nas Jornadas de Fado realizadas pela associação na ex-Fonoteca Municipal, em Lisboa, e ele próprio, durante anos, na SPA, através da sua Associação de Amizade Portugal-Portugal, realizou ciclos de palestras dedicadas ao fado, à música e à cultura portuguesas, por onde passaram vários nomes de diferentes áreas – do teatro à olissipografia -, e nos quais a APAF sempre colaborou”, afirma a APAF, da qual foi sócio-fundador.

“Criou, há anos, com o apoio da SPA, a Associação de Amizade Portugal-Portugal, que promoveu com regularidade dezenas de colóquios e palestras em que se valorizava a cultura e a identidade portuguesas, em conformidade com o seu sentido patriótico e o seu amor de sempre a Portugal”, afirma por seu turno a SPA, que realça o facto de Moniz Pereira ter sido “um cooperador ativo”, tendo participado “em atividades culturais, artísticas e associativas, tocando mesmo ao piano alguns dos seus temas mais conhecidos”.

“Inspirado poeta e compositor de fado, Moniz Pereira é autor, entre outros êxitos, de ‘Valeu a pena’, ‘Não vou’ ou ‘Leio nos teus olhos’, fados criados por nomes como Lucília do Carmo, Carlos Ramos, Deolinda Rodrigues, Maria da Fé ou Carlos do Carmo, entre outros”, atesta a APAF, que refere que os seus temas têm sido continuamente gravados, nomeadamente, por Camané, Pedro Moutinho, Joana Amendoeira, Maria da Nazaré, Ana Moura, Teresa Tapadas, Paulo de Carvalho e Raquel Tavares, entre outros.

Para a SPA, a morte de Moniz Pereira, aos 95 anos, “representa uma perda de vulto para a vida portuguesa, tanto no plano desportivo como no cultural, não podendo deixar de ser destacado o seu trabalho e talento como autor, estatuto de que se orgulhava e ao qual nunca renunciou”.

A 78.ª edição da Volta a Portugal em Bicicleta homenageou hoje Mário Moniz Pereira, com um minuto de silêncio em Lamego, antes da partida para a quinta etapa, que liga esta cidade a Viseu, numa distância de 153,2 quilómetros.

Conteúdo publicado por Sportinforma