Óbito/Moniz Pereira

01-08-2016 20:27

Aurora Cunha lamenta morte do "culpado" pelas vitórias no atletismo

Moniz Pereira morreu no domingo, aos 95 anos, depois de uma vida dedicada ao atletismo e ao Sporting, que representou como dirigente, treinador e atleta.
Aurora Cunha
Foto: DR

Aurora Cunha

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

A antiga maratonista Aurora Cunha, três vezes campeã do mundo de estrada, lamentou hoje a morte de Mário Moniz, que considerou responsável pelos êxitos do atletismo português.

"Acho que as nossas vitórias e todas as conquistas no atletismo dos últimos 30 anos se devem à sua persistência e teimosia”, afirmou Aurora Cunha, em Viseu, junto à meta da quinta etapa da Volta a Portugal em bicicleta.

Moniz Pereira morreu no domingo, aos 95 anos, depois de uma vida dedicada ao atletismo e ao Sporting, que representou como dirigente, treinador e atleta.

A antiga atleta recordou a viagem de Moniz Pereira a Ronfe, no concelho de Guimarães, para a contratar para os 'leões'.

“O Moniz Pereira ficará sempre na minha memória por uma razão, por recordar 1977/78, quando foi à minha aldeia tentar levar-me para o Sporting. Não consegue e eu fico no FC Porto, mas ficou uma ligação muito grande ao professor Mário Moniz Pereira", frisou.

Lamentando a sua ausência das cerimónias fúnebres de Moniz Pereira, marcadas para terça-feira, devido às funções que desempenha como embaixadora da Volta a Portugal, Aurora Cunha apresentou as condolências à família, prometeu estar presente na missa de sétimo dia e 'culpou-o' pelo sucesso do atletismo nacional.

“Quando ele disse que se o Governo apoiasse os atletas portugueses íamos ser tão bons como os estrangeiros, foi isso que aconteceu. Vai ficar para sempre na nossa memória, ele partiu mas já estamos com saudades", frisou a vencedora das maratonas de Paris e Tóquio, em 1988, Chicago, em 1990, e Roterdão, em 1992.

Conteúdo publicado por Sportinforma