Atletismo

23-08-2016 16:22

China une-se para encontrar a cadela que se perdeu numa ultramaratona

China mobiliza-se para encontrar cadela que acompanhou ultramaratonista australiano durante 125 quilómetros.
Mongólia
Foto: AFP

Deserto de Gobi

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

Internautas, defensores dos animais, imprensa e outros grupos da sociedade civil chinesa estão a mobilizar-se para tentar encontrar uma cadela que ficou famosa ao acompanhar um atleta australiano que realizava uma ultramaratona num deserto na China.

A cadela foi batizada com o nome de “Gobi”, o nome do deserto (o quinto maior do mundo que ocupa o norte da China e o sul da Mongólia) onde foi realizada a prova.

Dion Leonard, o atleta que contou com a companhia de “Gobi”, lançou nas últimas semanas uma campanha para adotar e levar a cadela para a sua residência em Edimburgo, na Escócia, mas quando esperava pelos trâmites necessários para autorizar o transporte, a cadela foi dada como desaparecida.

“Foram as piores 24 horas da minha vida, e sei que muitos partilham a minha dor e a minha raiva”, escreveu Dion Leonard na rede social Facebook, que viajou novamente para a China para colocar cartazes com imagens de “Gobi” nas ruas e participar nas buscas.

Dion Leonard, de 41 anos, conheceu “Gobi” em junho passado quando o animal começou a segui-lo, sem descanso, nas primeiras etapas da Marcha do Gobi, uma ultramaratona de 250 quilómetros que atravessa zonas desérticas com temperaturas que podem superar em algumas ocasiões os 50 graus celsius.

Durante 125 quilómetros, o animal manteve-se sempre ao lado do atleta e os dois estabeleceram uma forte ligação. Durante os restantes quilómetros, Dion Leonard levou a cadela para a sua tenda e decidiu adotá-la.

Lançou depois a campanha #BringGobiHome (Trazer Gobi para Casa, em português) para tentar angariar o dinheiro necessário para as despesas de vacinação e para os documentos necessários para a viagem do animal. O processo legal é demorado e deveria levar cerca de quatro meses. A cadela deveria chegar a Edimburgo na época do natal.

Na semana passada, o atleta foi informado pelas autoridades de Urumqi, capital da região chinesa de Xinjiang (noroeste, onde foi realizada a ultramaratona) que a cadela tinha desaparecido de um centro de acolhimento para animais onde tinha sido recebida.

Nas buscas estão a participar elementos do centro de acolhimento para animais de Urumqi, mas também muitos internautas chineses. Nas redes sociais, a notícia do desaparecimento de “Gobi” tornou-se num dos temas mais comentados dos últimos dias.

O desaparecimento do animal também é notícia na televisão estatal chinesa CCTV, na agência oficial China News e no Global Times, título em inglês detido pelo Diário do Povo (jornal ligado ao Partido Comunista Chinês).

Conteúdo publicado por Sportinforma