Atletismo

15-09-2016 18:50

Organização da 10.ª Meia Maratona do Porto acusa federações de falta de ação

A prova portuense detém uma das melhores marcas da especialidade e contará com atletas de 41 países.
8ª edição da Meia Maratona do Porto
Foto: Lusa

Atletas participam na 8ª edição da Meia Maratona do Porto, 14 de setembro de 2014.

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

O responsável pela organização da 10.ª Meia Maratona do Porto, Jorge Teixeira, acusou hoje as federações desportivas de “não estarem a fazer nada”, durante a apresentação da prova que se realiza na manhã de domingo.

“Ou somos nós, os privados, a fazer ou esqueçam. As federações não estão a fazer nada”, disse o mentor da competição, que faz parte do calendário mundial da especialidade desde 2015, referindo-se ao interesse e empatia que atletas profissionais e amadores têm revelado nas últimas edições.

Apesar de realçar o crescendo do sucesso da prova, que “começou humilde há 10 anos”, Jorge Teixeira criticou a ausência de apoio federativo e de entidades como o Turismo de Portugal a uma iniciativa “com um impacto que prevê um retorno económico entre seis a sete milhões de euros”.

“Esta é uma das melhores meias-maratonas do Mundo, pelo menos a mais bonita”, corrida nas margens do Douro, nas ribeiras do Porto e Vila Nova de Gaia, enfatizou o responsável pela Runporto, empresa que assume a organização, diante do vereador do Desporto gaiense, Guilherme Aguiar, e do administrador da Porto Lazer (empresa municipal), Nuno Lemos.

A prova portuense detém uma das melhores marcas (59:30 minutos, em 2011) da especialidade e contará com atletas de 41 países, representando os cinco continentes, num total que apenas poderá ser verificado no dia da prova, tendo em conta a possibilidade de inscrições até à última hora.

Quanto aos atletas de elite convidados, além do vencedor do ano anterior, Emmanuel Bor, há mais três quenianos com marcas semelhantes, abaixo dos 60 minutos, Mayo Kirop, Kemboi Kimurer e Lucas Rotich, entre um conjunto de corredores, com tempos muito próximos, de Marrocos, Eritreia, Uganda, Itália e Japão, a que se junta o português Rui Teixeira, vencedor do São Silvestre no Porto de 2015.

Em femininos, destaque para as presenças de Martha Akeno (Quénia), Linda Quaglia (Itália) e Ayumi Kubo e Nao Isaka (Japão).

Entre as curiosidades anunciadas pela organização, nota para a equipa holandesa Tennet, que inscreveu 422 atletas, assim como para o facto de o corredor mais idoso ter 80 anos.

Este último par competirá na mini-maratona (seis quilómetros), que se realizará juntamente com a prova principal, num percurso nas margens do Douro, entre o Porto e Vila Nova de Gaia, que condicionará o trânsito nos locais.

A partida está marcada para as 10:00 de domingo e será dada, simbolicamente, pelo queniano Paul Tergat, antigo campeão do Mundo de corta-mato e recordista mundial da maratona e meia-maratona, que hoje não pôde estar presente no evento, devido a afazeres no Comité Olímpico Internacional (COI).

Conteúdo publicado por Sportinforma