Atletismo

13-04-2017 23:14

Presidente da IAAF dececionado com a falta de progressos da Rússia

A IAAF autoriza os atletas russos a competir a título individual caso sejam submetidos a controlos de doping independentes.
Coe explica suspens
Foto: SAPO Desporto

A IAAF autoriza os atletas russos a competir a título individual caso sejam submetidos a controlos de doping independentes.

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

O presidente da Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF) mostrou-se hoje dececionado com os “escassos progressos” feitos pela Rússia na aplicação das medidas exigidas na luta antidoping.

“O grupo de trabalho está dececionado com os escassos progressos realizados desde o último relatório [de fevereiro], particularmente nos setores chaves, como os controlos, a capacidade de ter acesso ao passaporte biológico, os problemas das cidades ‘fechadas’ e o facto de treinadores com métodos ‘opacos’ continuarem a exercer”, assumiu Sebastian Coe, na conferência de imprensa de balanço da reunião do Conselho da IAAF, que decorre entre hoje e sexta-feira, em Londres.

O presidente da IAAF defendeu que não há nenhuma razão para que não tenham sido registados maiores progressos.

“A Federação russa não deve ter ilusões. Os critérios não vão mudar. Não fazemos política. Os critérios são claros”, garantiu.

As declarações de Coe surgem na sequência da publicação de um comunicado de Rune Andersen, o presidente do grupo de trabalho independente da IAAF que acompanha os esforços da Rússia na luta antidopagem, que indica que o país fez “poucos progressos” nos últimos meses.

O grupo de trabalho, presidido por Andersen, entrega regularmente balanços sobre os progressos realizados pela Rússia na luta contra a dopagem, com o propósito de reintegrar os seus atletas nas competições internacionais.

O atletismo russo está suspenso desde novembro de 2015, depois de o relatório McLaren, da Agência Mundial Antidopagem, ter revelado um sistema de dopagem alargado, com apoio estatal.

Os atletas russos falharam os Jogos Olímpicos Rio2016, sendo que também não poderão apresentar-se nos Mundiais de agosto em Londres.

Conteúdo publicado por Sportinforma