Atletismo

09-05-2017 20:56

Recordista mundial do salto em altura “ofendido” por proposta de anular recordes

Javier Sotomayor não ficou contente com a intenção
Paulo Conceição
Foto: LUÍS FORRA / LUSA

Javier Sotomayor não gostou da proposta

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

O recordista mundial do salto em altura, o cubano Javier Sotomayor, disse hoje estar “muito ofendido” pela proposta da Associação Europeia de Atletismo (EAA) de anular os recordes europeus e mundiais anteriores a 2015.

O cubano de 49 anos disse ao jornal Granma que “vários recordista mundiais” estão também “muito ofendidos” pela proposta de alteração dos livros de recordes.

A proposta pretende anular os recordes europeus e mesmo mundiais anteriores a 2005 numa tentativa de acabar com dúvidas levantadas sobre a legitimidade dos mesmos.

Neste sentido, todos os recordes antes de uma data, a ser definida, seriam incluídos na categoria ‘velhos recordes da Europa’, com o objetivo de ter os desempenhos menos propensos a dúvidas quanto à sua obtenção com possível recurso ao doping.

A proposta ser vai submetida à Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF) que a considerará na reunião do seu conselho, em agosto.

“É como se quisessem tirar valor à performance, talento e todo o trabalho necessário para atingir estas marcas excecionais. Estas pessoas querem manchar estes resultados, quase apagá-los, porque se não voltarem a aparecer nos livros, tornam-se sucessos esquecidos”, acrescentou o antigo atleta, agora vice-presidente da Federação de Atletismo de Cuba.

Sotomayor estabeleceu o recorde mundial do salto em altura a 27 de julho de 1993, em Salamanca, Espanha, ao saltar 2,45 metros.

A 03 de maio, o recordista mundial do salto em comprimento, o norte-americano Mike Powell, de 53 anos, classificou como “injustiça” a proposta da EAA.

Conteúdo publicado por Sportinforma