Atletismo

24-05-2017 20:11

Cabo Verde homenageia Gracelino Barbosa

Atleta conquistou três medalhas de ouro nos Mundias de atletismo na Tailândia.
Dois portugueses em finais de atletismo das Universíadas
Foto: D.R.

Atletas conquistou três medalhas

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

O Governo cabo-verdiano homenageou hoje Gracelino Barbosa, uma semana após o atleta conquistar três medalhas de ouro nos mundiais de atletismo para portadores de deficiência intelectual, que decorreu em Banguecoque, na Tailândia.

O atleta foi galardoado com o Segundo Grau da Medalha de Mérito Desportivo, por ter conquistado os títulos nos 100 metros e nos 110 e 400 metros barreiras.

O galardão foi entregue pelo primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, que disse que é “muito merecido”, após o corredor dar ao país “momentos de grande orgulho nacional”.

Segundo o chefe do Governo, Gracelino Barbosa simboliza o que Cabo Verde deve ser, que é acreditar, ser perseverante, ultrapassar dificuldades e ter capacidade de competir a nível global.

“Esta vitória é do Gracelino", disse Ulisses Correia e Silva, afirmando, no entanto, que impõe ao país um “grande desafio”, já que o atleta “está muito mais à frente” das políticas, dos meios e as construções que Cabo Verde ainda precisa desenvolver para o desporto.

De acordo com o primeiro-ministro, Cabo Verde tem de “correr mais e melhor” para poder “alcançar o Gracelino” e colocar o país “num patamar desportivo muito superior àquilo que tem hoje”.

“Isto é válido para todas as modalidades, particularmente as individuais", prosseguiu.

Afirmando que Gracelino Barbosa é um "grande embaixador" de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva anunciou que o Governo vai atribuir um passaporte diplomático ao atleta, que se destaca a um "nível superior".

O primeiro-ministro indicou que no mês de junho será realizado o Conselho Nacional do Desporto (CND), momento para regulamentar e definir um "quadro muito claro" relativamente a apoios e incentivos para atletas de alta competição.

"Quadros excecionais, apoios excecionais, para aqueles que são excecionais. É assim que conseguimos motivar para que todos possam pretender alcançar níveis elevados", traçou o chefe do Governo, numa cerimónia que contou com a presença de ministros, autarcas, deputados, corpo diplomático e desportistas.

Visivelmente emocionado, Gracelino Barbosa disse que a homenagem do Governo foi "espetacular", porque recebeu um símbolo do trabalho que fez para o país.

Relativamente ao passaporte diplomático, disse que é "ótimo", já que é algo do qual tem sentido falta para entrar em outros países sem enfrentar dificuldades.

O galardão do Governo foi a segunda homenagem em dois dias prestada a Gracelino Barbosa, após a da Câmara Municipal do Tarrafal de Santiago, concelho de onde é natural.

O atleta foi sozinho ao campeonato mundial, mas o presidente do Comité Paralímpico Cabo-verdiano (COPAC), Rodrigo Bejarano, disse que a decisão foi do comité, que fez a inscrição. "Ou ia sozinho, ou não ia", disse à agência Lusa o dirigente desportivo.

Em agosto do ano passado, o aleta, residente em Portugal, conquistou a medalha de bronze nos Jogos Paralímpicos do Rio2016, a primeira na história do país, na categoria T-20 (deficiente intelectual) e na altura foi também homenageado pelo Governo cabo-verdiano.

Conteúdo publicado por Sportinforma