Atletismo

27-12-2016 17:10

Corrida de S. Silvestre vai ter alterações inéditas

Próxima edição da prova vai decorrer, pela primeira vez, de manhã.
Corrida de São Silvestre da Amadora
Foto: Lusa

Corrida de S.Silvestre

Por SAPO C/Lusa sapodesporto@sapo.pt

A nona edição da Corrida de São Silvestre de Lisboa será disputada pela primeira vez de manhã, no próximo dia 31, numa competição para a qual estão já inscritos cerca de 8.500 participantes.

A tradição de realizar a competição no último sábado do ano levou a corrida a coincidir com as celebrações da passagem do ano na capital, o que ditou a alteração inédita da prova para as 10:30 da manhã. A partida e a chegada da competição, com a distância de dez quilómetros, acontecem na Avenida da Liberdade.

"Esta é uma edição especial. Por vicissitudes de calendário, não tínhamos outra data possível e vamos fazer de manhã, o que é uma novidade. Temos menos 25 por cento de inscritos, mas estamos a trabalhar para que seja um momento diferente", explica Hugo Sousa, organizador da São Silvestre de Lisboa, estimando o número de inscritos em "8.500 participantes".

A São Silvestre de Lisboa, que foi apresentada esta terça-feira no salão nobre da Câmara Municipal de Lisboa, volta a ser palco de uma ‘guerra dos sexos’, sendo que as mulheres vão partir com 2.59 minutos de vantagem sobre os homens. Para a vencedora da edição transata, Dulce Félix, o objetivo da sua nona participação é o mesmo de sempre: vencer.

"Fico feliz por estar em presente em todas as edições e ir para a nona edição sem lesões é bom sinal. A minha expectativa, como em todas as competições, é tentar ganhar. E como há a ‘guerra dos sexos’ o objetivo é tentar vencer os homens", afirma a atleta do Benfica, que correrá contra o companheiro Ricardo Ribas.

Apesar de partir primeiro do que os homens, a corredora de 34 anos vê isso como uma desvantagem: "Nós temos de fugir e eles vêm em grupo na perseguição, o que torna tudo mais fácil. A vantagem de 2.59 minutos é mais confortável do que noutros anos, mas temos de estar numa boa forma para ganhar".

Ricardo Ribas ainda não conseguiu triunfar nesta competição, mas acredita poder estrear-se no lugar mais alto do pódio aos 39 anos. "O percurso é fantástico. Esta prova tem caraterísticas muito próprias: o primeiro quilómetro é muito rápido, a correr abaixo de 2.40 minutos, e tem de se estar muito bem preparado. Quem não estiver bem preparado, aos dois quilómetros já não está na frente da corrida", frisa.

Quem está habituado a fazer marcas ‘canhão’ é João Pereira. O triatleta do Benfica, que detém o recorde de 2.33 minutos no último quilómetro, sente-se um pouco ‘intruso’ entre os seus rivais do atletismo, mas mantém a ambição de surpreender e vencer, depois de já ter sido segundo e terceiro classificado.

"O objetivo é dar o melhor de mim e se conseguir ganhar melhor ainda. Mas os atletas que vou enfrentar são atletas bastante fortes, que respeito bastante, mas claro que vou dar tudo. Se vir que não consigo ir aos lugares cimeiros, acho que me vou poupar para o último quilómetro para tentar surpreender novamente", adianta João Pereira.

Já Jéssica Augusto destaca o compromisso de ajudar a elite feminina a manter o domínio na ‘guerra dos sexos’, na qual as mulheres lideram o duelo por 4-3. "Vamos partir fortes e tentar ganhar aos homens. No ano passado eu assumi a corrida no início, parti muito forte, e a Dulce Félix tirou vantagem disso. Este ano, se for preciso, também o farei", reitera.

Por fim, Hermano Ferreira assume a determinação de prosseguir a sua hegemonia, com quatro vitórias no currículo, bem como ajudar os homens a alcançar o empate na rivalidade com as mulheres.

"Sou um dos favoritos, mas vou com a intenção de ganhar. Esta tem um sabor especial, porque é uma prova que eu gosto e a ‘guerra dos sexos’ desperta mais competição ainda. Gosto de objetivos e este é um dos objetivos: tentar apanhar as mulheres. Este ano temos o objetivo de empatar e vamos trabalhar para isso", sublinha.

A corrida de São Silvestre de Lisboa é também considerada como mais um passo na caminhada da candidatura da cidade a Capital Europeia do Desporto 2021, como refere Sónia Paixão, diretora do departamento de Desporto da autarquia. "É precisamente este nível de eventos que nos coloca no caminho para 2021", sentencia.

A realização da competição vai impor condicionamentos de trânsito na Avenida da Liberdade e na Praça dos Restauradores nos dias 30 e 31 de dezembro. A prova tem início às 10:30 da manhã e conta com uma duração máxima de duas horas

Conteúdo publicado por Sportinforma