Basquetebol/NBA

25-05-2017 23:14

Steve Kerr continua de fora do banco dos Warriors

Notícia foi dada pelo diretor-geral da equipa, Bob Myers.
Steve Kerr, treinador dos Golden State Warriors
Foto: EPA/JOHN G. MABANGLO

Steve Kerr, treinador do GS Warriors

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

O treinador Steve Kerr ainda não está pronto para voltar ao banco dos Golden State Warriors, que se preparam para a terceira final consecutiva da Liga norte-americana de basquetebol profissional (NBA), anunciou hoje o diretor-geral, Bob Myers.

Depois de dois dias de folga, após o terceiro 4-0 nos ‘play-offs’, aos San Antonio Spurs, depois de igual ‘receita’ face a Portland Trail Blazers e Utah Jazz, os Warriors voltaram aos treinos e Myers não avançou uma data para o regresso do técnico principal dos vice-campeões em título.

Steve Kerr, de 51 anos, foi submetido a 05 de maio a um procedimento para reparar um vazamento de líquido na espinal medula, decorrente de complicações após uma par de operações às costas, em 2015, após o primeiro título dos Golden State Warriors em 40 anos.

O técnico dos Warriors regressou aos treinos a 13 de maio, depois de mais três semanas afastado e esteve com a equipa na final da Conferência Oeste, face aos Spurs, mas observando os jogos longe do banco de suplentes e falando com a equipa apenas antes dos encontros e durante o intervalo.

Na ausência de Steve Kerr, os Warriors, que iniciam dentro de uma semana a final, previsivelmente numa reedição com os campeões Cleveland Cavaliers (vencem os Boston Celtics por 3-1), têm sido orientados por Mike Brown.

“Se ele se sentir melhor e tivermos de tomar essa decisão, vamos fazê-lo, mas, por agora, não vamos dizer o que ele fará se se sentir melhor”, explicou Myers, acrescentando: “Dependerá do dia a dia, de ele se sentir bem e quanto tempo”.

O diretor-geral dos Warriors lamenta muito a situação: “Devia estar a dizer isto com mais emoção, mas é duro para mim. Estou em modo basquetebol, mas ele é uma pessoa e não se está a sentir bem e isso é o que torna isto difícil”.

“Mais do que o que isso afeta a nossa equipa, é o que ele sente que torna muito difícil estar aqui a dizer que o homem responsável por nos ter colocado em três finais consecutivas não pode estar no banco neste momento”, acrescentou, finalizando: “É doloroso e eu sei que é doloroso mais para ele do que para qualquer outra pessoa”.

Conteúdo publicado por Sportinforma