NBA

31-05-2017 08:32

Vem aí o 'tira teimas' entre Cavaliers e Warriors

Cleveland Cavaliers e Golden State Warriors defrontam-se pela terceira vez consecutiva na final da Liga norte-americana de basquetebol (NBA).
Cleveland Cavaliers at Boston Celtics
Foto: DR

LeBron James

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

Cleveland Cavaliers e Golden State Warriors defrontam-se pela terceira vez consecutiva na final da Liga norte-americana de basquetebol (NBA), num ‘tira teimas’ ao qual os vice-campeões ‘chamaram’ Kevin Durant para ajudar a derrubar LeBron James do ‘trono’.

Os Warriors impuseram-se por 4-2 na final da 2015, mas, o ano passado, os ‘Cavs’ ripostaram, vencendo por 4-3, depois de estarem à beira do ‘abismo’ (1-3), no que foi o terceiro ‘anel’ de LeBron, após os dois que foi conquistar junto a Dwyane Wade e Chris Bosh nos Miami Heat (2012 e 2013).

Este terceiro cetro, arrebatado ao lado de Kyrie Irving e Kevin Love, na sua sétima final, foi, porém, especial para a ‘estrela’ dos ‘Cavs’, pois venceu no regresso a casa, deu o primeiro título a Cleveland e agora quer o ‘bis’.

Do outro lado, estão, porém, uns Warriors aparentemente mais fortes do que nos anos anteriores, pela chegada da ‘mega estrela’ Kevin Durant, que disputa a sua segunda final, depois de, ao serviço dos OKC, ter perdido a primeira para LeBron James e os Miami Heat, em 2012 (1-4).

Além de Durant, líder da equipa norte-americana que venceu o ouro olímpico no Rio2016, a formação de Oakland tem ainda do seu lado o fator casa, onde disputará os dois primeiros encontros e eventuais quinto e sétimo, depois de mais uma vitória na fase regular (67 vitórias e 15 derrotas).

A este registo, os Warriors juntam ainda uma inédita marca de 12 triunfos e nenhum desaire nos ‘play-offs’, depois de ‘varrerem’ Portland Trail Blazers, Utah Jazz e San Antonio Spurs, mesmo muitos jogos sem o treinador Steve Kerr, com problemas nas costas, no banco.

Os vice-campeões, que nos últimos jogos têm sido comandados por Mike Brown, têm um perfeito 12-0, mas os ‘Cavs’, que na ‘regular season’ só venceram 51 jogos (31 derrotas), não ficam muito atrás, pois apenas perderam um encontro.

A equipa liderada por Tyronn Lue venceu os Indiana Pacers e os Toronto Raptors por 4-0 e os Boston Celtics por 4-1, curiosamente com uma derrota em casa, no jogo 3, já com a formação do Massachusetts sem o base Isaiah Thomas.

Os números mostram que as duas equipas ainda não foram verdadeiramente testadas, sendo que os Warriors beneficiaram, face aos Spurs, da lesão de Kahwi Leonard – que se juntou nos indisponíveis a Tony Parker – logo no primeiro jogo, numa altura em que perdiam em casa por 55-78. Venceriam por 113-111.

No que respeita aos confrontos diretos na fase regular, regista-se uma igualdade: os Warriors ‘cilindraram’ em casa por 126-91, mas, depois, perderam no Ohio por um (109-108).

No que se refere aos planteis, e em contraponto com a época passada, a formação de Oakland ganhou Durant, mais Zaza Pachulia, JaVale McGee, David West e Matt Barnes, mas também perdeu, nomeadamente dois jogadores do ‘cinco’.

Os titulares Harrison Barnes e Andrew Bogut saíram, tal como Leandro Barbosa, Mareese Speights, Festus Ezili e Anderson Varejão, que entravam na rotação.

As grandes figuras permanecerem, porém, em Oakland, nomeadamente Stephen Curry, Draymond Green e Klay Thompson, mais Andre Iguodala, o MVP da final de 2015, Shaun Livingston e ainda Ian Clark.

Quanto aos ‘Cavs’, mantiveram o ‘cinco’ intocável, com LeBron James, Kyrie Irving e Kevin Love, mais o atirador JR Smith e o lutador Tristan Thompson.

Do banco, para ajudar, Lue tem muitas opções, pois a Iman Schumpert, Channing Frye e Richard Jefferson juntaram-se o letal atirador Kyle Korver, Deron Williams, o base ‘exigido’ por James, e ainda Derrick Williams. Também contrataram Bogut, mas este lesionou-se com gravidade no primeiro jogo.

As muito aguardadas ‘Finals’, depois de três primeiras rondas dos ‘play-offs’ que não deixaram saudades, arrancam quinta-feira (madrugada de sexta-feira em Lisboa), em Oakland, também palco do segundo jogo, no domingo.

O ‘duelo’ prossegue em Cleveland, a 07 e 09 de junho. Caso nenhuma equipa tenha chegado ao quarto triunfo, a final prosseguirá, até isso acontecer, com o jogo 5 em Oakland (12 de junho), o 6 no Ohio (15) e o 7 de volta à Oracle Arena.

Conteúdo publicado por Sportinforma