Giro

16-05-2015 19:04

Contador resiste a tudo e todos

Mais uma vez, André Cardoso (Cannondale-Garmin) foi o melhor português, perdendo 5.58 minutos e chegando em 34.º. Mantém o 37.º lugar da geral, a 21.26 do primeiro.
Alberto Contador
Foto: Lusa

Alberto Contador

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

O ciclista espanhol Alberto Contador parece estar bem recuperado da queda de há dois dias no Giro e hoje terminou a etapa, que terminou com uma contagem de primeira categoria, junto aos seus principais rivais.

Mais que isso, o líder da Tinkoff-Saxo ganhou à concorrência dois segundos num 'sprint' intermédio, passando a ter quatro segundos de avanço na geral sobre o italiano Fabio Aru (Astana) e 22 sobre o australiano Richie Porte (Sky).

Depois de se ter chegado a equacionar a desistência do líder da Volta a Itália, Contador, que deslocou um ombro, resguardou-se na etapa de sexta-feira e hoje respondeu sempre às tentativas de ataque dos outros pretendentes ao pódio final.

Não se esperava, dadas as circustâncias, que fosse Contador a atacar e, de facto, na subida de Campitello Matese foram Porte e Aru que testaram forças, mas sem sucesso.

No fim da etapa, já vestiu a camisola rosa com desenvoltura, não parecendo queixar-se do ombro, e prepara-se para mais uma etapa de média montanha, no domingo, antes do primeiro dia de paragem do Giro, na segunda-feira.

"Estou muito feliz, as etapas de ontem e de hoje foram mesmo duras. A Astana dificultou-nos muito a vida no final da etapa. Tanto Aru como Richie queriam atacar, mas penso que respondi bastante bem. Agora, vou desligar para descansar", disse no final o ciclista espanhol, de 32 anos.

Para Contador, era "óbvio" que Aru ia atacar hoje. "Richie e Fabio estão cá os dois para ganhar e é isso que estão a tentar fazer. Tentaram surpreender-me, atacaram e eu, apesar da queda, estive em condições de responder", acrescentou.

A etapa, 186 quilómetros entre Fiuggi e Campitello Matese, foi para o espanhol Benat Intxausti (Movistar), que ganhou isolado em 4:51.34 horas. Entraram depois o suíço Sebastien Reisenbach (IAM), a 20 segundos, e o espanhol Mikel Landa (Astana), a 31, com o grupo dos favoritos a cortar 35 segundos depois do vencedor.

Intxausti foi o último sobrevivente das fugas do dia, para o que é já o segundo sucesso em etapas no Giro para o espanhol da Movistar. Lutador, não esteve logo nas primeiras escapadas, mas tentou a sua sorte quando o terreno ficou mais difícil, desembaraçando-se por último de Reisenbach.

Mais uma vez, André Cardoso (Cannondale-Garmin) foi o melhor português, perdendo 5.58 minutos e chegando em 34.º. Mantém o 37.º lugar da geral, a 21.26 do primeiro.

Fábio Silvestre (Trek) e Sérgio Paulinho (Tinkoff-Saxo) entraram no mesmo grupo, a 19.48 do vencedor do dia, respetivamente em 125.º e 142.º.

Paulinho subiu cinco lugares na geral, para 118.º, a 1:21.09, e Silvestre melhorou quatro posições, para 160.º, agora a 1:40.05.

No domingo, na última etapa antes do descanso, o pelotão vai de Benevento a San Giorgio del Sanno. São 225 quilómetros com duas contagens de montanha de segunda e primeira (Colella) a meio da tirada e uma outra de segunda, já a cerca de dez quilómetros do final.

Conteúdo publicado por Sportinforma