Ciclismo

06-06-2016 18:29

Bouhanni homenageia Muhammad Ali com vitória no Critério do Dauphiné

Oliveira continua a ser o melhor português na geral, ao subir à 48.ª posição, estando a 1.19 minutos de Contador.
Nacer Bouhanni
Foto: ERIC FEFERBERG / AFP

Nacer Bouhanni

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

O ciclista Nacer Bouhanni (Cofidis) homenageou hoje Muhammad Ali, dando socos no ar para festejar o triunfo na primeira etapa do Critério do Dauphiné, que continua a ser liderado por Alberto Contador (Tinkoff).

O ‘sprinter’ francês, pugilista nas horas vagas, voltou a demonstrar que se dá bem com os ares da corrida gaulesa, sendo o mais rápido no final dos 186 quilómetros entre Cluses e Saint-Vulbas, à frente do belga Jens Debusschere (Lotto Soudal) e do irlandês Sam Bennett (Bora-Argon 18).

“Disse que queria dedicar uma vitória ao Muhammad Ali e fi-lo. Pode não parecer algo grande, mas representa muito para mim”, reconheceu Bouhanni, que no ano passado venceu duas etapas da prova francesa.

Mas, como é hábito, a vitória do ciclista de 25 anos não ficou imune a polémicas, já que na aproximação à meta, quando os ‘comboios’ da Cofidis e da Katusha seguiam a grande velocidade na dianteira do pelotão, Bouhanni travou uma ‘luta’ de ombros com Alexander Kristoff, chegando mesmo a dar algumas cabeçadas no ciclista norueguês da Katusha.

“É assim o 'sprint', não há ofertas. Eu queria ficar na roda do meu lançador e o Kristoff queria o mesmo”, desvalorizou o vencedor, que saltou da roda de Bennett para chegar ao triunfo, com o tempo de 4:27.53 horas.

Numa etapa sem história para as contas da geral, destacaram-se o belga Frederik Backaert (Wanty-Gobert) e o australiano Mick Docker (Orica-GreenEdge), os dois fugitivos do dia, que foram alcançados a apenas 13 quilómetros de Saint-Vulbas, quando os ‘comboios’ vermelhos tomaram conta de uma perseguição até então entregue à Tinkoff do líder Alberto Contador.

O espanhol chegou integrado no pelotão, tal como os portugueses André Cardoso (Cannondale) e Nelson Oliveira (Movistar), e manteve a liderança da geral individual, com seis segundos de vantagem sobre o australiano Richie Porte (BMC) e 13 sobre o seu arquirrival, o britânico Chris Froome (Sky).

Oliveira continua a ser o melhor português na geral, ao subir à 48.ª posição, estando a 1.19 minutos de Contador. Cardoso é agora 69.º, a 1.43 minutos, enquanto Sérgio Paulinho (Tinkoff), que perdeu um minuto após trabalhar para o seu líder Contador, é 152.º, a 3.30 minutos.

Na terça-feira, a segunda etapa vai ligar Crêches-sur-Saône e Chalmazal-Jeansagnière, no total de 168 quilómetros.

Conteúdo publicado por Sportinforma