Ciclismo

14-03-2017 17:11

Quintana 'sobreviveu' ao contrarrelógio para vencer o Tirreno-Adriático

Ciclista da Movistar venceu a prova pela segunda vez.
Volta ao Algarve com dez equipas da elite e seis portuguesas
Foto: SAPO Desporto

Ciclista da Movistar venceu a prova pela segunda vez.

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

Nairo Quintana (Movistar) ‘escapou’ incólume a uma prestação modesta no contrarrelógio da sétima etapa para conquistar o seu segundo Tirreno-Adriático, com o ciclista português Rui Costa (UAE Team Emirates) a acabar dentro do ‘top 20’.

Trepador puro, o pequeno colombiano enfrentava um grande desafio nos 10,05 quilómetros nas ruas de San Benedetto del Tronto e, apesar de ter desiludido, o líder da Movistar segurou a vitória, diante da competição feroz do australiano Rohan Dennis (BMC), que voou para cumprir o exercício em 11.18 minutos e ficar a apenas 25 segundos da camisola azul.

Quintana, que foi 45.º no ‘crono’, a 41 segundos de Dennis, impôs-se pela segunda vez na “Corrida dos Dois Mares”, depois de ter vencido a prova italiana em 2015.

“O contrarrelógio de hoje foi muito rápido, mas nunca estive preocupado, porque a vantagem que tinha era boa”, assumiu o colombiano, de 27 anos, que este ano já venceu a Volta a Valência.

Parco em palavras, o líder da Movistar quis agradecer o contributo de todos os seus colegas, incluindo o português Nelson Oliveira, tricampeão nacional de contrarrelógio, que hoje não foi além do 83.º lugar, a um minuto exato do vencedor, tal como Rui Costa.

“O Tirreno-Adriático é uma corrida da qual gosto muito. Estou feliz por ganhar pela segunda vez e poder recompensar a minha equipa pelos esforços que fizeram por mim”, acrescentou.

Ao seu lado no pódio, Quintana teve os dois homens que começaram a jornada com esse estatuto, embora Dennis e Thibaut Pinot (FDJ) tenham trocado de lugares.

Com a excelente prestação no ‘crono’ – deixou o holandês Jos van Emden (LottoNL-Jumbo) e o australiano Michael Hepburn (Orica-Scott), respetivamente segundo e terceiro, a três segundos -, o ciclista que detém o recorde de contrarrelógio mais veloz da história (55,446km/h no Tour2015) subiu ao segundo lugar da geral, deixando o francês no terceiro lugar.

Pinot foi 17.º na etapa, a 27 segundos, e ficou a 36 segundos de Quintana numa classificação geral em que o português Rui Costa foi 18.º, a 03.28 minutos.

Nelson Oliveira, o outro português em prova, terminou na 74.ª posição, a 37.14 minutos do seu líder de equipa.

Conteúdo publicado por Sportinforma