Volta à Catalunha

22-03-2017 17:27

Valverde 'vinga-se' da despromoção com triunfo na 3.ª etapa

Nelson Oliveira, um dos protagonistas da polémica da Movistar, caiu para o 95.º posto, depois de ser 121.º na tirada, a 23.12 minutos do seu líder.
Alejandro Valverde
Foto: JAVIER LIZON / EPA

Alejandro Valverde

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

O ciclista espanhol Alejandro Valverde ‘vingou-se’ hoje do castigo imposto à Movistar, ao vencer, no alto de La Molina, a terceira etapa da Volta à Catalunha, que passou a ser liderada pelo norte-americano Tejay Van Garderen (BMC).

Alejandro Valverde, que adormeceu líder da Volta à Catalunha e acordou sem a camisola branca, depois de a União Ciclista Internacional (UCI) ter decidido sancionar todos os ciclistas da Movistar com a perda de um minuto na geral na sequência dos impulsos dados por José Joaquín Rojas aos companheiros Nelson Oliveira e Andrey Amador no contrarrelógio por equipas, teve um triunfo de raiva.

O espanhol, que cumpriu os 188,3 quilómetros com início em Mataró, acelerou nos metros finais da ascensão a La Molina e bateu, ao ‘sprint’, o irlandês Daniel Martin (Quick-Step Floors), com os dois a cortarem a meta com o tempo de 05:07.12 horas.

No primeiro teste solitário à condição dos candidatos à vitória final, todos os grandes nomes do pelotão da prova espanhola apareceram na subida de primeira categoria coincidente com a meta: o britânico Adam Yates (Orica-Scott) foi terceiro, a três segundos, à frente do francês Romain Bardet (AG2R), do russo Ilnur Zakarin (Katusha), do britânico Geraint Thomas (Sky), do espanhol Alberto Contador (Trek-Segafredo) e do novo líder da geral, o norte-americano Tejay Van Garderen – só Chris Froome (Sky), 12.º, a oito segundos, perdeu terreno.

O ciclista da BMC herdou a liderança do seu companheiro Ben Hermans, promovido à condição de líder à partida para a terceira etapa, tendo agora 41 segundos de vantagem sobre outro colega de equipa, o espanhol Samuel Sánchez.

Geraint Thomas é agora terceiro, a 44 segundos, com Valverde a relançar-se na luta pela geral, ao subir ao quarto lugar, a 45. Apesar dos segundos perdidos, Froome é quinto a 49 de Van Garderen.

Entre os portugueses, Ricardo Vilela (Manzana Postobón) foi o grande destaque da jornada, ao ser 31.º na tirada, a 01.27 minutos do duo da frente, um resultado que lhe permitiu pular mais de 80 lugares na geral e situar-se na 41.ª posição da geral, a 05.46 minutos do norte-americano da BMC.

Nelson Oliveira, um dos protagonistas da polémica da Movistar, caiu para o 95.º posto, depois de ser 121.º na tirada, a 23.12 minutos do seu líder, estando dois lugares à frente de José Mendes, que foi 95.º, a 21.56.

O português da Movistar está a 24.07 minutos de Van Garderen, enquanto o ciclista da Bora-hansgrohe, campeão nacional de fundo, está a 24.18.

Já José Gonçalves, que é agora o único representante nacional na Katusha depois da desistência de Tiago Machado com problemas intestinais, foi 182.º e último classificado a 24.44 minutos de Valverde, e ocupa a 128.ª posição da geral, a 27.27 minutos do homem da BMC.

Na quinta-feira, disputa-se a quarta etapa, uma ligação de 194,3 quilómetros entre Llívia e Igualada.

Conteúdo publicado por Sportinforma