Ciclismo

16-05-2017 07:08

27ª edição do Grande Prémio JN conta com várias inovações

A prova, que estará na estrada entre 24 e 28 de maio, terá um trajeto global de cerca de 550 quilómetros, distribuído entre várias localidades do norte do país, começando com uma tirada à noite.
Ciclismo Geral
Foto: LUIS FORRA / LUSA

Grande Prémio de Ciclismo JN decorre de 24 a 28 de maio

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

A 27.ª edição do Grande Prémio de Ciclismo Jornal de Notícias foi apresentada na segunda-feira, revelando algumas inovações e características pouco comuns em provas velocipédicas nacionais.

A prova, que estará na estrada entre 24 e 28 de maio, terá um trajeto global de cerca de 550 quilómetros, distribuído entre várias localidades do norte do país, começando com uma tirada à noite.

No dia de arranque, está planeado um prólogo noturno por equipas, na cidade de Viseu, agendado para as 21:00, num trajeto de 5,9 quilómetros, que passará pela zona histórica da localidade.

Para o segundo dia de competição, que engloba a primeira etapa, está projetada uma ligação entre Ovar e a Maia, com uma distância de 138 quilómetros, em que se prevê uma chegada ao 'sprint', no empedrado do centro maiato.

No dia seguinte, a segunda etapa vai contemplar uma pouco usual jornada dupla, com a competição a começar logo às 09:30 com uma ligação até ao alto de Santa Luzia, em Viana do Castelo, de 84 quilometros, com chegada prevista às 11:30.

Mas a jornada desse dia não terminará por aí para o pelotão, que da parte da tarde regressará às bicicletas para percorrer um contrarrelógio individual de 6,7 quilómetros, em Barcelos, com partida no centro da cidade e chegada ao alto da Franqueira, onde uma exigente subida na última metade do percurso promete causar diferenças.

Com pouco tempo para retemperar forças, a terceira etapa deste Grande Prémio JN é a mais longa da prova, numa distância de mais 170 quilómetros, que vai ligar Viana do Castelo a Ovar, em que os 'sprinters' poderão ter uma palavra a dizer na chegada.

No derradeiro dia de competição, em 28 de maio, o pelotão fará uma viagem final de 130 quilómetros, com partida e chegada em Valongo, mas que contará passagens por subidas exigentes, que podem baralhar as contas finais da prova.

Este será o terceiro ano consecutivo desde que jornal portuense retomou a organização do seu Grande Prémio de Ciclismo, o qual, nas 27 edições, nenhum corredor conseguiu vencer por duas vezes.

Afonso Camões, diretor do histórico matutino, disse que "o ciclismo está no ADN do Jornal de Notícias", vincando que esta aposta na modalidade "está para ficar".

"A nossa perspetiva é continuar a fazer esta aposta, mas temos ambições mais profundas. Iremos por etapas, e nos próximos meses teremos novidades sobre os nossos compromissos em relação ao ciclismo em Portugal", afirmou.

Também presente nesta cerimónia de apresentação da prova, que reuniu ex-ciclistas, diretores de equipas, autarcas e parceiros da prova, esteve Delmino Pereira, presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC), que frisou "o consolidar do regresso do JN à modalidade".

"Esta é uma corrida com alma, carisma e história, que interessa aos leitores do JN, aos aficionados do ciclismo, e às nossas equipas e atletas", vincou o dirigente.

A 27.ª edição do Grande Prémio Jornal de Notícias vai contar com as presenças das seis equipas profissionais portuguesas: EFAPEL, LA-Alumínios, Louletano, Rádio Popular-Boavista, Tavira-Sporting e W52-FC Porto.

Estão também previstas as presença de três equipas espanholas - Cortizo, Escribano Sport Team e Kuota -, além da formação sul-americana 'Team Bolívia'.

Vão ainda participar as equipas de formação Liberty Seguros-Carglass, Trofa, Sicasal, Miranda/Mortágua, Moreira Congelados e Maia.

Conteúdo publicado por Sportinforma