Ciclismo

17-05-2017 18:19

Giro: Persistência de Omar Fraile impede Rui Costa de vencer 11.ª etapa

Fraile cumpriu a tirada em 4:23.14 horas com o mesmo tempo atribuído a Rui Costa e ao francês Pierre Rolland.
Omar Fraile venceu a 11ª etapa da Volta a Itália em bicicleta
Foto: EPA/ALESSANDRO DI MEO

Omar Fraile venceu a 11ª etapa da Volta a Itália em bicicleta

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

O espanhol Omar Fraile (Dimension Data) venceu hoje a 11.ª etapa da 100.ª Volta a Itália em bicicleta, depois de ter estado envolvido na fuga do dia, batendo o português Rui Costa (UAE Emirates), segundo classificado.

Fraile, vencedor da classificação da montanha na Volta a Espanha em 2015 e 2016, cumpriu a tirada em 4:23.14 horas, o mesmo tempo atribuído a Rui Costa e ao francês Pierre Rolland (Cannondale-Drapac), terceiro classificado, enquanto o pelotão chegou cerca de dois minutos depois, com o holandês Tom Dumoulin (Sunweb) a conservar a liderança.

Numa etapa acidentada, um grupo de duas dezenas de fugitivos subiu ao Passo della Calla, contagem de terceira categoria e a segunda montanha do dia, já com Fraile, Andrey Amador (Movistar) e Mikel Landa (Sky) inseridos e com mais de quatro minutos de vantagem para o grupo do líder da 'corsa rosa'.

A inclusão do costa-riquenho da Movistar preocupava a Sunweb do camisola rosa Tom Dumoulin, uma vez que Amador seria líder virtual com a diferença de tempo entre os dois, pelo que a subida ao Monte Fumaiolo acabou por fazer a fuga quebrar, apanhada por uma série de perseguidores, nos quais se inseriam Rui Costa e Rolland.

O ciclista poveiro atacou a 29 quilómetros do fim à procura de se juntar aos homens da frente, levando consigo Laurens de Plus (Quick-Step Floors), que acabou por ficar para trás, e Pierre Rolland.

A etapa decidiu-se mais à frente, na descida para Bagno di Romagna, onde Pierre Rolland e Rui Costa se tinham juntado a Omar Fraile nos quilómetros finais, ainda que o português tenha tido que trabalhar para alcançar o espanhol e o francês.

A chegada de Tanel Kangert (Astana) à frente da corrida alterou a dinâmica do ‘sprint’ restrito que se desenhava, com Rolland a tentar fugir dos três rivais e Rui Costa a ‘marcar’ Fraile, que a 200 metros acelerou para a vitória que procurou desde o início da etapa, com Rui Costa em segundo e Rolland no terceiro posto.

“É o melhor dia da minha vida. Correr o Giro era um sonho de criança”, exclamou o espanhol no final da tirada, na qual alcançou a terceira vitória da carreira, depois do Tour des Apennins e de uma etapa nos Quatro Dias de Dunquerque, em 2015.

Apesar de ter falhado a vitória de etapas em grandes voltas, depois de três triunfos na Volta a França (um em 2011 e dois em 2013), a tirada de hoje permitiu-lhe subir ao 15.º posto da geral, a 6.29 do holandês Tom Dumoulin, num dia sem alterações nos primeiros lugares, à exceção da subida de Amador ao sexto posto e de Kangert ao oitavo.

O campeão português de estrada José Mendes (Bora Hansgrohe) terminou o dia em 49.º, a 4.27 de Fraile, subindo dois lugares para 46.º na geral, enquanto José Gonçalves (Katusha Alpecin) saltou sete posições para 70.º, ao terminar em 67.º a 11.ª etapa.

Na quinta-feira, a 12.ª etapa vai ligar Forlì a Reggio Emilia, na distância de 229 quilómetros, com um traçado favorável a nova batalha de ‘sprinters’ pela vitória em etapa e a camisola dos pontos, atualmente envergada pelo colombiano Fernando Gaviria (Quick-Step Floors).

Conteúdo publicado por Sportinforma