Volta a Portugal

02-08-2016 16:58

Hernani Broco anuncia abandono do ciclismo aos 35 anos

Profissional desde 2004, Broco, que correu na espanhola Caja Rural em 2012, assegurou não deixar qualquer mágoa na saída, mas sim alguns sonhos por concretizar.
Hernâni Broco
Foto: NUNO VEIGA / LUSA

Hernâni Broco

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

O português Hernani Broco (LA-Antarte), atual 31.º classificado da Volta a Portugal em bicicleta, vai abandonar o ciclismo, aos 35 anos, confirmou hoje à agência Lusa o quinto classificado nas edições de 2010, 2011 e 2013.

“Tenho 35 anos e queria sair enquanto ainda estou a andar bem e com bons resultados. Quero sair da modalidade pelo meu pé, abraçar o projeto da clínica que tenho há três anos e dedicar-me à fisioterapia, à família e aos amigos”, disse Broco à Lusa, durante o dia de descanso da Volta.

O corredor, natural de Torres Vedras, já tinha anunciado a sua retirada do pelotão no final de 2013, para se dedicar à fisioterapia, tendo posteriormente reconsiderado para alinhar no Louletano-Dunas Douradas, primeiro, e depois na LA-Antarte.

O melhor português da Volta de 2010 deu as primeiras pedaladas no Bonabal, sua terra natal, com 10 anos, tendo conquistado a sua primeira vitória em Brejenjas, a terra de Joaquim Agostinho.

“São 25 anos de ciclismo, dos quais me orgulho pelos títulos alcançados na Volta a Portugal, nos campeonatos nacionais, nos campeonatos do Mundo e da Europa, assim como ter podido correr no estrangeiro, fazendo a Volta a Espanha e clássicas do WorldTour”, referiu.

Profissional desde 2004, Broco, que correu na espanhola Caja Rural em 2012, assegurou não deixar qualquer mágoa na saída, mas sim alguns sonhos por concretizar.

“Foi muito feliz e tudo o que tenho hoje deve-se a este desporto, fica por levar a camisola amarela até ao final da Volta, mas foram três quintos lugares. Quando és o máximo profissional e dás tudo de ti e os outros são melhores só tens de estar orgulhoso com a tua carreira”, rematou.

Este ano, Broco foi segundo classificado no Grande Prémio Joaquim Agostinho, atrás do italiano Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira), naquele que foi o seu melhor resultado em Torres Vedras.

Conteúdo publicado por Sportinforma