Futebol/Estudo

17-05-2010 08:45

Vantagem de jogar em casa varia de 58 a 65 por cento

Desde que as vitórias na Liga de futebol (1995/96) passaram a valer três pontos, a vantagem de jogar em casa variou de 58 a 65 por cento, revela um estudo a apresentar na terça-feira por Jorge Silvério.
Vantagem de jogar em casa varia de 58 a 65 por cento

Por Sapo Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

O Provedor do Adepto da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) analisou os resultados das equipas participantes na Liga na condição de visitado e concluiu que, embora em redução, existe ainda uma grande vantagem em jogar em casa.

Jorge Silvério apresenta as conclusões alargadas do estudo na terça-feira, no Instituto Superior da Maia (ISMAI), durante o VI Congresso Internacional de Futebol.

A definição de vantagem de jogar em casa utilizada neste estudo foi o número de pontos obtidos em casa expressos sob a forma de percentagem em relação ao total de pontos ganhos.

De acordo com o estudo a que a Agência Lusa teve acesso, são oito as explicações para a vantagem da equipa que actua em casa.

O apoio da multidão, factores de familiaridade e aprendizagem, tácticas utilizadas, regras diferentes (apenas em desportos como basebol ou hóquei no gelo), pressão da multidão sobre o árbitro, efeito da viagem na equipa visitante e factores psicológicos e biológicos.

Jorge Silvério defende que a redução desta vantagem - que acontece em praticamente todos os campeonatos europeus -, prende-se com a existência de cada vez mais estrangeiros nos clubes, perdendo-se a motivação inerente ao "amor à camisola".

O Provedor do Adepto vai ainda apresentar um modelo de tenacidade, com uma proposta para que a "vantagem de jogar em casa possa ser contrariada pela equipa visitante e ultrapassada enquanto factor limitativo de um desempenho de excelência".