Acidente

29-11-2016 17:10

Clubes brasileiros propõem não descida da Chapecoense nas próximas três temporadas

Na eventualidade de o clube terminar o campeonato nos quatro últimos lugares de despromoção, o 16.º classificado desceria à Série B no lugar da Chapecoense.
Acidente/Chapecoense

Acidente/Chapecoense

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

Vários clubes brasileiros de futebol, entre eles Palmeiras, Corinthians, São Paulo e Santos, propuseram hoje várias medidas solidárias para apoiar o Chapecoense após o acidente de avião que vitimou a equipa que se deslocava para Medellín, na Colômbia.

Em comunicado hoje divulgado, vários clubes do Brasileirão referiram que endereçaram à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) uma "solicitação formal" para que a Associação Chapecoense de Futebol não seja despromovida nas próximas três temporadas.

Na eventualidade de o clube terminar o campeonato nos quatro últimos lugares de despromoção, o 16.º classificado desceria à Série B no lugar da Chapecoense, cuja equipa viajava para a Colômbia para disputar com o Atlético Nacional a primeira mão da final da Taça Sul-americana, na quarta-feira, em Medellín.

A outra proposta consiste no "empréstimo gratuito de atletas para a temporada de 2017" à formação de Chapecó, medidas que se aliam aos "mais sinceros sentimentos de pesar e solidariedade" num "momento de união, apoio e auxílio".

"Trata-se de gesto mínimo de solidariedade que se encontra ao nosso alcance neste momento, mas dotado do mais sincero objetivo de reconstrução desta instituição e de parte do futebol brasileiro que fora perdida hoje", acrescenta o comunicado, que não especifica os clubes que assinaram o documento, para já publicado nas páginas de Palmeiras, São Paulo, Corinthians e Santos.

Um avião com 81 pessoas a bordo – nove tripulantes e 72 passageiros -, entre as quais a equipa brasileira de futebol da Chapecoense, caiu na madrugada de hoje na Colômbia, perto de Medellín, provocando 75 mortos. Entre os seis sobreviventes, constam três futebolistas da equipa brasileira.

Em comunicado, o aeroporto de Medellín refere que o avião, com matrícula da Bolívia, "declarou-se em emergência" às 22:00 locais (03:00 em Lisboa) "por falhas técnicas", de acordo com a transmissão feita para a torre de controlo.

O avião tinha saído do aeroporto Viru Viru, de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, onde aparentemente tinha realizado uma escala técnica.

Conteúdo publicado por Sportinforma