Polémica no Brasil

21-02-2017 10:31

Rival da Chapecoense relembra tragédia como forma de ataque à equipa

Vice-presidente do Náutico Marcílio Dias afirmou que a sua equipa não precisa de uma tragédia para fazer um clube grande.
Os melhores momentos do Desporto em 2016

Chapecoense conquistou o Mundo inteiro depois da tragédia de dezembro

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

O vice-presidente do Náutico Marcílio Dias está no centro de uma tempestade de polêmica depois de ter feito uma declaração contra a Chapecoense envolvendo a tragédia que vitimou quase toda a equipa em dezembro do ano passado. Num vídeo publicado na rede social Facebook, Mauro Pereira afirmou que o Náutico não precisa de uma tragédia para transformar a sua equipa numa potência do Estado de Santa Catarina.

"O avião do Marcílio Dias não precisa de cair para transformarmos esta equipa numa potência do futebol catarinense, do futebol brasileiro. Não precisamos de uma tragédia para tornar o nosso clube grande".

Após esta declaração feita num 'direto do Facebook', a contestação sobre o emblema brasileiro viu-se alvo de várias críticas que levou a um pedido de desculpas em forma de comunicado. Nessa nota, a direção realça que esteve solidária com a tragédia que atingiu a Chapecoense em dezembro do ano passado que vitimou grande parte da equipa principal.

Leia o comunicado na integra:

O Clube Náutico Marcílio Dias vem através desta nota oficial se posicionar a respeito da declaração do seu vice-presidente Mauro Pereira na noite de ontem, em uma live através do Facebook Oficial, realizada para o lançamento de um novo plano de sócios do clube.

Mauro Pereira citou, em determinado momento, a tragédia da Chapecoense. O acidente nos deixou altamente consternados, e o próprio clube se manifestou se solidarizando com o Clube do Oeste do Estado através de nota de luto e de postagens em redes sociais.

A declaração de que o Marcílio Dias não precisa passar por uma tragédia para se reerguer está colocada pelo diretor no contexto do programa de sócio torcedor do clube. Temos a consciência de que uma administração séria, transparente e comprometida, como existe na

Chapecoense, é fator determinante para o sucesso de um programa de sócios. A colocação está no sentido de que a torcida precisa ser solidária ao processo de renovação do clube, sem a necessidade de passar por uma tragédia para que isso venha a acontecer.

Em momento algum a declaração visou desmerecer, diminuir ou denegrir a Associação Chapecoense de Futebol, um exemplo a ser seguido pelo Marcílio Dias em termos de administração, e que temos o total respeito e entendimento de sua grandeza, inclusive antes da tragédia acontecer.

Transmitindo a mensagem do nosso vice-presidente, pedimos desculpa àqueles que se sentiram ofendidos pela declaração, e que em momento algum ela foi relacionada a diminuir a tragédia ou nosso co irmão de Chapecó, um exemplo a ser seguido dentro e, principalmente, fora de campo.

Conteúdo publicado por Sportinforma