Futebol / Cabo Verde

05-06-2017 00:10

Vulcânico perde em “casa” e complica passagem às meias-finais

A equipa do Vulcânico, campeão regional da ilha do Fogo, averbou hoje, no estádio 5 de Julho, a sua segunda derrota consecutiva em “casa”, por 2-1.
Futebol Geral
Foto: GASPAR CASTRO / SAPO Desporto

Futebol Geral

Por SAPO Desporto c/Inforpress sapodesporto@sapo.pt

A equipa do Vulcânico, campeão regional da ilha do Fogo, averbou hoje, no estádio 5 de Julho, a sua segunda derrota consecutiva em “casa”, por 2-1 uma frente ao AJAC de Santiago Norte.

Com esta derrota, a formação do Vulcânico, que estava proibida de perder, vê, assim, a sua passagem às meias-finais do campeonato nacional cada vez mais distante.

O primeiro tempo do jogo, que foi bem disputado, foi dominado pela equipa visitante, sobretudo nos últimos 20 minutos, criando várias oportunidades de golo que foram negadas pelo guarda-redes, Lú, do Vulcânico, que efectuou três grandes defesas para linha do fundo, ficando ainda a equipa do AJAC a pedir uma grande penalidade que não foi assinalada pelo árbitro da partida.

No primeiro tempo, a única situação de golo criada pelo Vulcânico foi na passagem do minuto 44 com Adérito a rematar forte mas a bola a sair ao lado.

No segundo tempo, o Vulcânico entrou melhor e a pressionar, dando mostra de querer vencer o jogo e, no minuto 14, quando um grupo de apoiantes ensaiava apoio ao Vulcânico, esta formação chega ao golo com Adérito de cabeça entre os defesas a elevar-se melhor, respondendo um cruzamento do lado direito, fazendo o placar funcionar.

A formação do AJAC respondeu e procurou o golo da igualdade que chegou aos 24 minutos na transformação de uma grande penalidade, bem assinalada já que o defensa Mané jogou a bola com a mão dentro da pequena área. Depois de uma defesa de Lú ao primeiro remate, na recarga o capitão Tchibá atirou para o golo, restabelecendo a igualdade.

O Vulcânico ainda tentou chegar ao golo que garantia os três pontos, mas numa jogada de contra-ataque, Alex, que entrou no segundo tempo, teve a calma suficiente para enganar um defensor do Vulcânico e faz um passe certeiro para o seu companheiro Buba, que estando isolado, só teve que empurrar para o segundo golo da sua equipa, dando assim os três pontos.

No final da partida, Tchitchite, treinador adjunto do Vulcânico, admitiu que a desconcentração dos jogadores e a lesão de alguns titulares está na base desta derrota, a segunda caseira no campeonato regional, mas adiantou que vai encarar os desafios com determinação para ver se é possível a passagem.

Já o treinador do AJAC, Elvis Gonçalves, disse que no jogo de quarta-feira a sua equipa perdeu com o Vulcânico por mera infelicidade e que veio para este desafio convicto num bom resultado.

Disse que estudou a tática do Vulcânico, que joga com passes alongados, e explorou os pontos fracos, acabando assim por vencer.

Com esta vitória, o AJAC iguala o Vulcânico no terceiro lugar, ambos com quatro pontos, já que Ultramarina e Onze Unidos estão no primeiro com quatro pontos.

A partida foi dirigida pelo trio de Santo Antão Norte, chefiado por Nelson Lopes e os auxiliares Jorge Chantre e Roberto Gama, sendo o quarto árbitro, António Rodrigues, da ilha do Fogo. O trio de arbitragem fez um excelente trabalho e não teve influência no resultado.

No próximo fim-de-semana, o Vulcânico desloca-se a ilha do Maio para defrontar o Onze Unidos no jogo da quinta jornada do Grupo A.

Conteúdo publicado por Sportinforma