CAN2015

23-01-2015 18:10

Magia de Gyan dá vitória ao Gana sobre a Argélia

O avançado ganês fez o único tento do encontro já em período de descontos e salvou a sua seleção de uma situação complicada no grupo C.
Gyan dá vitória ao Gana
Foto: CARL DE SOUZA / AFP

O avançado fez o único golo do jogo com a Argélia

Por João Paulo Godinho sapodesporto@sapo.pt

O Gana venceu esta tarde a Argélia, por 1-0, em jogo do grupo C do CAN2015, numa péssima partida decidida por Asamoah Gyan em pleno período de descontos. Foi preciso esperar até aos 92 minutos de jogo para ver o primeiro e único golo do encontro, concretizado num arranque fulgurante de Gyan, que rematou cruzado para o delírio dos adeptos ganeses em Mongomo (Guiné Equatorial).

Com alguns jogadores bem conhecidos dos portugueses nas equipas iniciais, como o portista Brahimi pela Argélia ou o ex-portista Atsu pelo Gana, o encontro começou com intensidade, mas pouca qualidade. A bola raramente saía do meio-campo e as ocasiões de golos revelar-se-iam escassas na primeira parte.

De facto, apenas a seleção argelina conseguia apresentar alguma objetividade nesta fase e esteve mais perto de chegar ao golo. Aos 6', Brahimi quase chega a tempo de castigar um erro insólito do guardião Razak, mas este conseguiu corrigir antes do extremo argelino poder marcar para a sua seleção. O primeiro aviso seria reforçado pouco depois, quando estavam cumpridos 20 minutos, através de Bentaleb. Porém, o médio atirou ao lado quando estava em boa posição para inaugurar o marcador.

O outro sinal de interesse neste monótono primeiro tempo surgiu com uma 'escaramuça' entre jogadores das duas seleções. Aos 30', Belfodil fez falta sobre Agyemang-Badu, que reage com um empurrão. A confusão instala-se, mas o árbitro resolveu o desentendimento com calma e sem cartões.

O nulo resistiu sem surpresa até ao apito para o intervalo. Face à diminuta produção dos dois conjuntos, surpresa seria a existência de um golo nesta primeira parte.

Contudo, o segundo tempo trouxe algum ritmo, mas perdeu a pouca clarividência que subsistia em campo. No entanto, o Gana passou a dominar mais claramente o jogo e a fazer tudo para não complicar de forma irremediável o seu apuramento para os quartos de final, pois a derrota no primeiro encontro pressionava já o subconsciente dos jogadores.

A equipa dos irmãos Ayew, Asamoah Gyan e Atsu passou a acercar-se com mais frequência da baliza de M'boulhi e caso existisse alguma qualidade no aproveitamento das bolas paradas talvez o golo tivesse chegado mais cedo.

No entanto, quando o nulo parecia cada vez mais certo e inevitável, Gyan apareceu como um golpe de magia. Num passe longo, o defesa Medjani deixa-se ultrapassar pela potência e velocidade do avançado ganês, que atirou cruzado de pé direito para o golo da vitória.

A um minuto do apito final, o Gana voltou a ganhar vida no grupo C, igualando a Argélia no primeiro lugar (Senegal e África do Sul jogam apenas às 19h00), tendo ambos três pontos, tal como os senegaleses. A África do Sul é a última classificada, ainda sem pontos.

Conteúdo publicado por Sportinforma