Euro2012

13-06-2012 18:51

Varela põe Portugal a respirar

Equipa portuguesa venceu a Dinamarca e está na luta pelo apuramento no Grupo B. Depois da primeira vitória no Europeu, o jogo frente à Holanda decide quem fica no Euro e quem regressa mais cedo a casa.
Varela põe Portugal a respirar

Por Bruno Miguel Dias sapodesporto@sapo.pt

Portugal venceu esta tarde a Dinamarca por 3-2 em jogo da segunda jornada do Grupo B do Euro2012. Depois de uma primeira parte de bom nível, Portugal teve de sofrer muito até final. Já só perto do fim Varela recolocou Portugal na rota dos quartos de final do Euro2012. A julgar pelo retrato de hoje, frente à Holanda vai ser preciso roer muito as unhas.

O jogo era decisivo para as aspirações portuguesas no Europeu e, no início do encontro, a equipa lusa soube estar à altura das responsabilidades no Arena de Lviv. Depois de nos primeiros minutos os dinamarqueses terem tomado a iniciativa de jogo, Portugal organizou-se e pegou no jogo.

O meio-campo português começou a carburar e a bola começou a chegar com maior frequência à área dinamarquesa. Já completamente instalado no meio campo dinamarquês, Portugal chegou ao 1-0 num grande golpe de cabeça de Pepe. O central português surgiu rapidíssimo ao primeiro poste e fulminou Andersen.

Portugal cresceu então ainda mais no jogo e o 2-0 chegou aos 36’ por Hélder Postiga, a calar os crísticos com um golo típico de ponta de lança. Nani cruzou rasteiro da direita e o avançado português antecipou-se ao seu marcador direto e atirou a contar.

O clima era de festa pintada a verde e branco nas bancadas do Arena de Lviv, mas o “carrasco” português Nicklas Bendtner acalmou os ânimos ao reduzir para 2-1. O dinamarquês aparece sozinho e só teve de encostar de cabeça para o fundo das redes, após assistência de Krohn-Dehli.

Portugal entrou no segundo tempo em vantagem, mas o resultado era perigoso e qualquer deslize podia colocar tudo empatado de novo.

Cristiano Ronaldo teve a possibilidade de descansar Portugal, mas mais uma vez mostrou-se pouco inspirado na hora da finalização. Depois de boa simulação de Hélder Postiga e no frente a frente com Andersen, o português atirou à figura do guardião dinamarquês.

Portugal não marcava e a Dinamarca passou a aproveitar o nervosismo que se instalava do lado português. Num desses lances, Kvist, num remate espantoso, tirou tinta do poste de Rui Patrício.

Com o aproximar dos minutos finais, a Dinamarca procurava mais intensamente o empate, mas simultaneamente abria mais espaços atrás. Espaço que Cristiano Ronaldo mais uma vez não conseguiu aproveitar: outra vez isolado, mais uma vez por Nani, atirou para fora no cara a cara com Andersen.

Bendtner é que não foi a Lviv para passear e gelou os portugueses nas bancadas com mais um golo em que bateu toda a defesa. O dinamarquês tem queda para marcar a Portugal e apareceu ao segundo poste a fazer o 2-2, praticamente colocando Portugal fora do Europeu.

Hoje em Portugal são poucos os que não sofrem e a seleção não quis ser diferente. Quando tudo ameaçava ruir, Varela tirou um coelho da cartola: falhou o primeiro remate, mas a bola soube ficar à medida do pé direito, bem a jeito do extremo rematar forte para as redes dinamarquesas. 3-2 e um alívio gigantesco. Portugal esteve com um pé fora do Euro e ressuscitou. No domingo decide-se se fica na Polónia e Ucrânia ou se regressa mais cedo a casa.