Girabola

11-03-2013 16:46

Petro perde em casa numa noite de inspiração do guarda-redes Julião

Golo solitário de Chiue, aos três minutos, deu a vitória ao Desportivo da Huila sobre o Petro-Atlético de Luanda.
Petro perde em casa numa noite de inspiração do guarda-redes Julião

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

Um golo solitário de Chiue, aos três minutos, deu a vitória ao Desportivo da Huila sobre o Petro-Atlético de Luanda, numa noite de inspiração do guarda-redes Julião, "culpado" pelo desaire da equipa anfitriã, em jogo disputado no estádio dos Coqueiros, nesta cidade, para o encerramento da terceira jornada do campeonato nacional de futebol da I divisão, Girabola2013.

Contra todas expectativas, a formação que viajou das terras altas da Chela entrou de rompante sem receio para o retângulo, com o objetivo de surpreender os "petrolíferos" nos minutos iniciais.

Foi assim que, aos três minutos na sequência de um ponta-pé de canto, Chiue, de cabeça colocou em vantagem o conjunto da frente militar sul, sem dar hipóteses de defesa ao guarda-redes Jota B.

Os forasteiros ao notar alguma fragilidade no sector intermediário dos anfitriões continuaram a pressionar o último reduto dos tricolores, na tentativa de ampliar o resultado.

Sidney, à passagem de 15º minuto quase aumentou a vantagem, mas o seu remate não teve a direção certa para visar pela segunda vez a baliza defendida por Jota B.

Quando o cronómetro assinalava 18 minutos falhou energia nas torres do estádio dos coqueiros, situação que obrigou uma paragem durante algum tempo.

As três equipas aguardaram cerca de oito minutos até ao restabelecimento total da energia. No reatamento, o Petro procurava o empate, enquanto o seu opositor tentava aumentar o "score".

Já no segundo período da partida dirigida por Manuel Francisco, da província de Luanda, a equipa do Petro, inconformada com o resultado negativo aumentou a intensidade no sector ofensivo, com as entradas do senegalês Bem Traore, Mateus e Isaac, numa aposta do técnico Miller Gomes procurar chegar no mínimo ao empate.

O "capitão" Chara, o zambiano Félix Katongo e o médio Job foram os jogadores sacrificados.

O seu colega de profissão e adversário de ocasião Mário Soares respondeu as substituições quando faltavam 15, 12 e cinco minutos para o termo da partida.

Do lado do Desportivo saíram Tubia (Lito), Bena (Aly) e Ruffin (Cassinda) com o objectivo de neutralizar o ataque do Petro, que tudo fez para chegar ao empate, mas os falhanços dos seus avançados não concretizaram esta intenção.

Com este resultado, o Petro, um dos candidatos a conquista do título permitiu ao Kabuscorp do Palanca se isolar na tabela classificativa, após golear sábado o FC Bravos do Maquis do Moxico, por 4-1, enquanto o Desportivo subiu alguns degraus na tabela de colocação.

Conteúdo publicado por Sportinforma com Angop