Girabola2013

11-08-2013 21:25

Caála bate Progresso e volta às vitórias

Após oito jornadas sem vencer os caalenses voltaram aos triunfos
Caála bate Progresso e volta às vitórias

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

Com golo de Nuno, aos 75', na transformação de penálti precedido de falta favorável ao Progresso do Sambizanga que o árbitro do jogo não assinalou, o Recreativo da Caála venceu, por 1-0, a formação "sambila" para a 20ª jornada do Girabola 2013.

Após oito jornadas sem vencer e há duas com novo técnico (provisório), parecia que os caalenses iriam novamente empatar ou perder este domingo, no estádio dos Kurikutelas, já que a primeira parte foi totalmente dominada pelos visitantes, que remataram para a baliza dez vezes contra apenas uma dos anfitriões.

Desde os primeiros minutos, o Progresso do Sambizanga mostrou mais ambição de vencer. Logo aos três minutos, Massinga cabeceou por cima da baliza e aos 15 Joãozinho obrigou, num remate violento, o guarda-redes Lókwa a arrojar-se para desviar a trajetória da bola.

Com os jogadores a revelarem nervosismo (ralhavam-se constantemente) e quase que perdidos em campo, o Recreativo da Caála errou muitos passes na etapa inicial e não conseguiu organizar lances de ataque, optando por futebol direto e em contra-ataques, mas facilmente estorvados pela defesa contrária.

Depois do intervalo, os donos de casa até procuraram superiorizar-se, com jogadas rápidas e circulação da bola, mas faltava ligação entre o meio-campo e o ataque e, em algumas vezes, objetividade e sentido de equipa.

Passados 15 minutos, mais uma vez, o Progresso começou a dominar o encontro, mas não conseguia criar situações de perigo. Aos 75', numa jogada envolvente na área "sambila" a bola tocou na mão de Jaime e o árbitro assinalou penálti, porém antes o guarda-redes Vozinha há muito que se encontrava estendido no relvado na sequência de uma falta sofrida.

Apesar do golo, o Progresso continuou a pressionar o Caála em busca da igualdade, mas foi incapaz de empatar por falta de sorte e calma dos jogadores e também mérito do guarda-redes Lókwa, que protagonizou notáveis defesas, sobretudo nos últimos dez minutos da partida, período em que os forasteiros se alojaram no meio-campo adversário.

Conteúdo publicado por Sportinforma com Angop