Girabola2016

22-08-2016 20:06

Dirigente deplora vandalismo nos estádios angolanos

Registaram-se atos de vandalismo no jogo entre o 4 de Abril-Recreativo da Caála (0-0), em Menongue, e no Porcelana FC-Petro de Luanda (0-1).
Adeptos durante uma partida de futebol em Angola
Foto: ANGOP

Adeptos durante uma partida de futebol em Angola.

Por SAPO Desporto c/ Angop sapodesporto@sapo.pt

Os atos de vandalismo perpetrados por adeptos de algumas equipas durante a disputa da 22ª jornada do Girabola mancham o futebol angolano e podem afugentar os amantes da modalidade dos campos, afirmou esta segunda-feira, no Luena, o presidente da associação do Moxico de futebol, Lilito de Freitas.

Em declarações à Angop, para proceder ao balanço da ronda 22, apontou o vandalismo como ato negativo e de irresponsabilidade, principalmente quando promovido por dirigentes, como aconteceu no desafio entre o Porcelana FC e o Petro de Luanda (0-1).

Afirmou que a violência mancha a qualidade futebolística e põe em causa a integridade física da população, que é a principal destinatária dos espetáculos.

Relativamente ao jogo Recreativo do Libolo-1º de Agosto (0-0), outro desafio que levantou polémica devido à atuação menos boa do trio de arbitragem, considerou “uma verdadeira vergonha” para o futebol angolano, numa altura em que o Girabola já é visto além-fronteiras.

O antigo praticante de futsal defende uma maior atuação e dureza dos conselhos central de Árbitros e de Disciplina da Federação Angolana de Futebol (FAF) para se repor a normalidade nos campos e a disciplina na arbitragem.

Considerou ainda salutar a aproximação do Petro de Luanda no trio dos "claros" candidatos ao título, o que vai exigir mais competitividade, eficácia no ataque e defesas coesas, para se manterem na corrida.

Quanto aos "pequenos", ressaltou o triunfo do Desportivo da Huila ante ao ASA (3-0), que travou igualmente a marcha vitoriosa dos aviadores.

De realçar que durante a disputa da 22ª jornada registaram-se atos de vandalismo no jogo entre o 4 de Abril-Recreativo da Caála (0-0), em Menongue, e no Porcelana FC-Petro de Luanda (0-1), além de irregularidade na arbitragem no desafio Recreativo da Caála - 1º de Agosto (0-0).

Em função desses atos, o Conselho Central de Árbitros de Futebol (CCAFA) vai analisar, quarta-feira, em Luanda, em reunião semanal, os principais casos ocorridos durante a 22ª jornada do Girabola2016.

Conteúdo publicado por Sportinforma