Futebol/Angola

24-08-2016 16:13

Porcelana FC repudia vandalismo

A direção do Porcelana FC do Cuanza Norte repudiou esta terça-feira, em Ndalatando, os atos de violência ocorridos domingo passado, no Estádio dos Dinizes, no final da partida com o Petro Atlético de Luanda, referente a 22ª jornada do Girabola.
Porcelana perde com o Petro por 0-1

O encontro da 22

Por SAPO Desporto c/Angop sapodesporto@sapo.pt

De acordo com uma nota enviada à Angop, a direcção do clube demarca-se da atitude do seu colaborador, Miguel Alberto Ventura dos Santos, cuja ação é apontada como causa dos actos de violência.

O comunicado refere que tais actos em nada dignificam o futebol angolano e não reflectem a imagem e o prestígio granjeado pelo clube na arena futebolística nacional.

"A direcção do Porcelana FC, reunida a 22 de Agosto do ano em curso, para análise da situação ocorrida no jogo realizado no passado dia 21 do corrente mês e ano, entre o nosso clube e o Petro Atlético de Luanda, lamenta desde já a situação ocorrida pois em nada dignifica o futebol angolano", lê-se no informe.

Na nota, apresenta desculpas aos intervenientes diretos do jogo, a equipa de arbitragem e ao Petro Atlético de Luanda, assim como ao Concelho Central de Árbitros, sócios, amigos, simpatizantes, adeptos e todos que se revêm no clube.

Segundo o documento, aquele clube demarca-se da atitude "irrefletida" do seu colaborador, por não reflectir os desígnios, propósitos, estatutos e regulamentos da equipa.

Na sequência destes acontecimentos, acrescenta o comunicado, a direcção do Porcelana FC decidiu terminar o vínculo contratual com Miguel Alberto Ventura dos Santos.

O comunicado conclui que a direcção do Porcelana FC mostra-se disponível em prestar toda colaboração no que for necessário, com vista ao esclarecimento e repor a verdade dos factos, para o bem do futebol.

Conteúdo publicado por Sportinforma