Futebol feminino

25-08-2016 09:55

Hope Solo suspensa por seis meses nos EUA

A internacional norte-americana foi punida pelos seus comentários sobre a seleção da Suécia na eliminação dos EUA do torneio olímpico de futebol feminino.
Hope Solo
Foto: Francois Laplante/FreestylePhoto / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP

Hope Solo

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

A Federação de Futebol dos Estados Unidos suspendeu na quarta-feira, por seis meses, a guarda-redes Hope Solo, uma das maiores figuras da equipa, por “comentários antidesportivos” nos Jogos Olímpicos Rio2016.

No final do encontro com a Suécia, dos quartos de final do torneio olímpico feminino, que os Estados Unidos perderam nas grandes penalidades, Hope Solo chamou as nórdicas de “cobardes” pelo sistema defensivo que adotaram com as norte-americanas.

Os comentários de Hope Solo merecerem imediatamente várias críticas, inclusive de algumas companheiras de seleção, como Megan Rapinoe, e do presidente da federação, Sunil Gulati. Mesmo com o impacto negativo das declarações, Hope Solo recusou sempre pedir desculpa ou retratar-se pelas palavras.

“Os comentários de Hope Solo (...) são inaceitáveis e ferem as normas de conduta que devem reger as jogadoras da seleção. Mais importante que a competição, e os resultados, é o comportamento desportivo inatacável que exigem uns Jogos Olímpicos, onde imperam os ideais de desportivismo e respeito”, escreveu Sunil Gulati num comunicado distribuído à imprensa.

Neste sentido, Gulati frisou que todos os que representam a Federação de Futebol dos Estados Unidos “devem honrar, sem exceção, esses princípios”. “Depois de tomarmos em consideração incidentes do passado em que se envolveu Hope [Solo], e depois de uma conversa privada sobre como deve conduzir o seu comportamento como elemento da seleção, determinámos uma punição disciplinar que entendemos a mais apropriada”, conclui o dirigente na mesma nota.

Antes de ter sido tornado público o castigo, Solo encontrou-se, em Seattle, com o secretário-geral da federação, Dan Flynn, e a selecionadora dos Estados Unidos, Jill Ellis. Solo, considerada a melhor guarda-redes da história do futebol feminino norte-americano, sagrou-se campeã mundial e bicampeã olímpica ao serviço dos Estados Unidos, somando, até ao momento, 202 internacionalizações.

No início de 2015, tinha sido castigada com 30 dias de suspensão depois de ter sido detida pela polícia de Los Angeles, quando, numa ‘operação stop’, o marido, Jerramy Stevens, que conduzia um veículo da federação de futebol, acusou excesso de álcool.

Stevens ficou detido três dias, mas Solo, que teve um comportamento agressivo contra as autoridades, saiu em liberdade e sem qualquer acusação formal.

Nos Jogos Olímpicos Rio2016, os Estados Unidos ficaram pelos quartos de final e a Suécia só foi derrotada na final pela Alemanha, que venceu as nórdicas por 2-1 e se sagrou pela primeira vez campeã olímpica.

Conteúdo publicado por Sportinforma