Internacional

02-09-2016 23:15

Liga grega já pode arrancar

O ministro dos Desportos da Grécia, Stavros Kontonis, afirmou hoje que a Liga grega de futebol vai poder arrancar no próximo fim de semana depois de ter sido encontrada uma solução para o problema das nomeações dos árbitros.
Cardozo

Cardozo

Por SAPO Desporto c/lusa sapodesporto@sapo.pt

As duas primeiras semanas da nova época foram adiadas devido a uma disputa entre a Federação grega, a Superliga e os clubes sobre a nomeação de árbitros para os jogos do campeonato, em que o Olympicos, agora comandado por Paulo Bento, defende o título.

Kontonis decidiu adiar o início da temporada devido ao receio de que as disputas entre clubes, federação e o Estado nas últimas semanas pudessem provocar "riscos significativos para a ordem e segurança pública" suscetíveis de desencadear um "comportamento violento generalizado".

Após uma reunião de duas horas com os responsáveis dos clubes, Kontonis afirmou que agora cabe agora à federação e à Superliga concordarem sobre com um novo método para a nomeação dos árbitros.

No último mês, três grandes clubes, o Panathinaikos, o AEK e o PAOK fizeram saber que não participariam no campeonato, a menos que a federação invertesse os seus planos para gerir a nomeação dos árbitros.

O Panathinaikos tinha denunciado o que qualificou como o “campeonato dos árbitros fixos” e acusou a Federação de ter renegado o acordo que estabeleceu com os responsáveis da UEFA para alterar o método de nomeação dos árbitros.

O clube de Atenas foi mais longe ao acusar “organizações criminosas de desmantelarem o futebol grego e qualquer noção de justiça”.

Por seu lado, o AEK tinha recusado a participar num campeonato organizado pelas “mesmas pessoas que planearam e cometeram crimes premeditados e ser cúmplice de uma organização criminosa”.

Quanto ao PAOK, foi menos contundente nas críticas, mas não deixou de denunciar “a atitude irresponsável da federação” e alertou a tutela governamental de que "escusa de procurar asilo porque vai ter de enfrentar a justiça”.

Conteúdo publicado por Sportinforma