Football Talks

23-03-2017 13:20

Giorgio Marchetti: "Bolas quentes nos sorteios? É brincadeira, só pode"

Diretor de competições da UEFA nega a existência de bolas quentes e de bolas frias nos sorteios do organismo.
Giorgio Marchetti discursa no Football Talks 2017
Foto: FPF

Giorgio Marchetti discursa no Football Talks 2017.

Por Eduardo Santiago e Inês Antunes sapodesporto@sapo.pt

O rumor das 'bolas quentes' e das 'bolas frias' nos sorteios da UEFA já não é novo, mas o tema é recorrente e volta à discussão sempre que há sorteios. Em declarações à margem do congresso Football Talks, Giorgio Marchetti, diretor de competições da UEFA, refutou o cenário de adulteração de resultados nos sorteios das competições, e afirmou mesmo que seria impossível pedir às antigas glórias do futebol europeu para alinhar num esquema desse género.

"Bolas quentes nos sorteios? É uma brincadeira, certo? Como podemos ter bolas quentes e bolas frias? É impossível. Acho que perante a qualidade das pessoas que convidamos para realizar o sorteio, eu nunca me atreveria a pedir-lhes para fazer algo que não respeitasse a natureza do sorteio, uma vez que se tratam muitas vezes de antigos jogadores. A questão em si é uma brincadeira", afirmou Giorgio Marchetti.

Questionado sobre o facto de Portugal vir a perder uma equipa na Liga dos Campeões, Giorgio Marchetti recordou que os clubes portugueses sempre conseguiram apresentar recursos ao longo dos anos para continuar a disputar as principais competições internacionais.

"O sistema de coeficiente é dinâmico. Se Portugal vai perder equipas na época 2018/2019, é devido ao somatório de vários resultados. Creio que os clubes portugueses sempre demonstraram recursos para competir ao mais alto nível e acho que eles têm todos os meios para regressar à posição que agora estão prestes a perder nas competições europeias. Todos os países estão na luta por subir no ranking porque ao fazerem isso têm noção que vão ter acesso às competições europeias, e há uma grande competição por resultados", disse o dirigente da UEFA.

Recorde-se que Portugal soube que iria perder um lugar na Liga dos Campeões em 2018/2019 devido às prestações dos clubes portugueses na Europa.

Conteúdo publicado por Sportinforma