Football Talks

23-03-2017 11:11

Pedro Proença: "Estávamos quase num processo de insolvência"

O presidente da Liga de Clubes fez um balanço positivo do primeiro ano à frente do organismo que tutela várias competições em Portugal e fez questão de anunciar a previsão de receitas para esta época na ordem dos 15,2 milhões de euros.
Pedro Proença discursa no arranque do segundo dia do Football Talks
Foto: FPF

O presidente da Liga de Clubes falou esta quinta-feira no ciclo de conferências da FPF 'Football Talks'

Por Eduardo Santiago e Inês Antunes sapodesporto@sapo.pt

Habituado a apitar para o início dos jogos enquanto árbitro, Pedro Proença deu hoje o pontapé de saída do segundo dia da 'Football Talks' na condição de presidente da Liga de Clubes.

Perante uma plateia repleta de especialistas de várias áreas do futebol, o presidente da Liga de Clubes de Portugal começou por fazer um balanço do que tem sido a sua gestão deste que assumiu o cargo em 2015, e começou desde logo por dizer que o organismo estava 'num processo de insolvência'.

"Começámos um novo ciclo em 2015. A Liga tinha falta de credibilidade, era amadora e não orientada para o negócio, para além da falta de aposta na tecnologia", começou por dizer Pedro Proença, para frisar depois que, "estávamos quase num processo de insolvência".

Quase dois anos depois de assumir a presidência da Liga de Clubes, Pedro Proença está confiante em relação ao futuro do futebol português devido às reformas que têm sido implementadas e não tem problemas em garantir que o caminho é de "um futebol virado para o negócio e baseado nos clubes assim como na aposta nos jovens jogadores portugueses".

O presidente da Liga anunciou também o plano estratégico do organismo até 2023, e revelou a previsão de receitas para esta época que deverá rondar os 15,2 milhões de euros, um aumento de 4 milhões em relação a 2014/15.

Em relação à Taça da Liga, Pedro Proença não escondeu a sua satisfação pessoal pelo crescimento e maturidade de uma competição que tem agradado aos clubes, jogadores, e patrocinadores.

"Já não é uma nova competição, porque já vai na 10ª edição. Os clubes estão muito felizes com este novo modelo e os patrocinadores estão muito felizes com este novo modelo", disse o presidente da Liga de Clubes.

Sobre a importância das competições nacionais na formação do jogador português internacional, Pedro Proença fez questão de recordar que, "dos 23 jogadores presentes no Euro, 20 tinham passado pelas competições profissionais em Portugal".

Já sobre os números das competições organizadas pela Liga de Clubes, Pedro Proença realçou os quase 3 milhões de espectadores nos estádios portugueses na última época, assim como os 542 golos no total de 236 jogos.

Conteúdo publicado por Sportinforma