Qual. Mundial2018

28-03-2017 23:38

Uma Argentina sem Messi foi derrotada na Bolívia

Derrota volta a complicar a sua situação na zona sul-americana de apuramento para o Mundial de futebol de 2018.
Angel Di Maria reage à derrota na Bolívia
Foto: EPA/MARTIN ALIPAZ

Angel Di Maria reage à derrota na Bolívia

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

A Argentina, órfã do castigado Lionel Messi, foi hoje derrotada por 2-0 pela Bolívia, nas alturas de La Paz, e voltou a complicar a sua situação na zona sul-americana de apuramento para o Mundial de futebol de 2018.

Sem o ‘oxigénio’ do seu ‘capitão’, que a FIFA castigou por quatro jogos, por insultos a um dos árbitros assistentes – que não as ouviu - do jogo anterior, com o Chile, a formação ‘albi-celeste’, praticamente, não ‘existiu’ na 14.ª jornada.

Juan Arce, aos 31 minutos, de cabeça, após cruzamento longo de Pablo Escobar, e Marcelo Moreno, aos 53, servido por Jorge Flores, derrotaram a Argentina, que só venceu um de oito jogos de qualificação sem Messi e, com ele, ganhou cinco de seis.

Além do jogador do FC Barcelona, Edgardo Bauza não repetiu mais sete jogadores - por culpa de castigos e lesões - do ‘onze’ que bateu os chilenos por 1-0, mantendo apenas Romero, Rojo e Di Maria, jogador que até poderia ter inaugurado o marcador.

A Argentina, que sofreu o quarto desaire, mantém, provisoriamente, o terceiro lugar, mas não vai terminar, certamente, a ronda nesta posição, sendo que, na pior das hipóteses, cairá para a quinta posição.

Nas últimas quatro rondas, a formação albi-celeste desloca-se ao Uruguai (30 de agosto), recebe Venezuela (04 de setembro) e Peru (04 de outubro) e fecha no Equador (09 de outubro), no jogo que marcará o regresso de Messi, se, entretanto, o seu castigo não for reduzido pela FIFA.

A 14.ª ronda sul-americana de apuramento prossegue hoje com os encontros Equador-Colômbia, Chile-Venezuela, Brasil-Paraguai e Peru-Uruguai.

Na zona sul-americana, os quatro primeiros classificados qualificam-se diretamente para a fase final do Mundial2018, enquanto o quinto disputa um ‘play-off’ intercontinental com o vencedor da Oceânia.

Conteúdo publicado por Sportinforma