Escândalo FIFA

06-04-2017 16:21

Sul-coreano denuncia atitude da FIFA e anuncia recurso ao TAS

Chung Mong-joon foi inicialmente castigado com seis anos de suspensão pela Comissão de Ética da FIFA.
Chung Mong-Joon, Antigo vice-presidente da FIFA
Foto: DR

Chung Mong-Joon, Antigo vice-presidente da FIFA

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

O sul-coreano Chung Mong-joon, ex-vice-presidente da FIFA, disse hoje que há membros dos comités de Ética e Recurso nomeados pelo ex-presidente Joseph Blatter e que vai recorrer da sua sanção ao Tribunal Arbitral do Desporto (TAS).

“Quando vemos que os membros chave da Comissão de Ética e de Recurso foram colocados por Blatter, percebemos que não estamos no fim das reformas da FIFA, mas no começo. Procurarei, por todos os meios, lutar contra isso, incluindo um apelo ao TAS”, argumentou.

Chung Mong-joon, que falava durante uma conferência de imprensa, em Seul, disse que iria formalizar o seu recurso ao CAS na próxima semana, alegando atraso no envio de documentação, referente a um processo em que foi sancionado por incumprimento do Código de Ética no processo de candidatura ao Mundial2022.

Vice-presidente da FIFA entre 1994 e 2011, Chung Mong-joon foi inicialmente castigado com seis anos de suspensão pela Comissão de Ética da FIFA, reduzido posteriormente pela Comissão de Apelo a cinco anos, e a uma multa de 50 mil francos suíços (cerca de 46 mil euros).

“Como a Comissão de Ética da FIFA tardou seis meses a enviar-me os fundamentos da sua decisão, não pude recorrer ao TAS até 18 meses depois da decisão inicial. Foi uma atitude que me prejudicou”, disse o também ex-presidente da federação sul-coreana de futebol.

Chung Mong-joon pediu ainda ao atual presidente da FIFA, o suíço Gianni Infantino, que sucedeu ao suíço Joseph Blatter na presidência do organismo, para intervir no seu caso.

Conteúdo publicado por Sportinforma