Futebol internacional

18-04-2017 15:13

30 anos depois, Somália poderá receber jogos internacionais

O país tem vivido graves problemas políticos, de violência e caos, desde o início dos anos 90.
Futebol

Futebol

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

A Somália poderá voltar a receber jogos internacionais, algo que não acontece há quase 30 anos, depois de o novo presidente da Confederação Africana de Futebol (CAF), Ahmad Ahmad, incentivar hoje a ideia.

O dirigente chegou mesmo a propor hoje à Somália a organização de jogos particulares frente aos seus vizinhos do Djibuti, sugerindo que os mesmos poderiam disputar-se em Mogadíscio, cidade que recebeu o último jogo internacional em 1988.

O país tem vivido graves problemas políticos, de violência e caos, desde o início dos anos 90, primeiro devido à guerra civil e mais recentemente face a ataques associados ao grupo extremista islâmico al-Shabab.

A visita de Ahmad Ahmad ao país, levou a que o presidente somali, Mohamed Abdullahi Mohamed, solicitasse que a Somália voltasse a receber jogos de futebol internacionais.

O atual presidente da CAF, que derrotou nas eleições do último mês o camaronês Issa Hayatou, dirigente que estava à frente da Confederação africana desde também 1988, encontra-se a efetuar uma visita de dois dias à Somália, a sua primeira oficial.

“Organizar jogos particulares em Mogadíscio ajudará muito a encorajar o desporto e ajudar a Somália a reconquistar a sua glória desportiva. Pedi à Somália e a Djibuti que disputem o primeiro particular”, referiu Ahmad Ahmad.

Ahmad prometeu também pedir ajuda às autoridades somalis na recuperação do maior estádio de futebol de Mogadíscio, com capacidade para 33.000 espetadores e atualmente ocupado pela União Africana, organização de ajuda presente no país.

Conteúdo publicado por Sportinforma