Futebol internacional

21-04-2017 09:35

Prisão preventiva para três suspeitas do homicídio de futebolista panamiano

Amílcar Henríquez foi morto a tiro no sábado por um grupo de pessoas, tendo morrido na sequência de disparos, que feriram outros dois amigos.
Futebol
Foto: Lusa

Futebol

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

O Tribunal da Relação de Colón, no Panamá, revogou na quinta-feira a medida de coação mínima às quatro mulheres suspeitas do homicídio do futebolista panamiano Amílcar Henríquez e ordenou a detenção de três delas.

A 17 de abril, um juiz de primeira instância tinha deixado as quatro mulheres em liberdade, mas agora essa decisão foi revogada, embora uma delas tenha permanecido em liberdade, com obrigação de apresentar-se às autoridades todas as terças e quartas-feiras, sendo também impedida de sair do país e aproximar-se da residência onde vive a família do internacional panamiano, em Colón.

Amílcar Henríquez foi morto a tiro no sábado por um grupo de pessoas, tendo morrido na sequência de disparos, que feriram outros dois amigos.

Um primeiro relatório da polícia indicou que, em Nuevo Colón, um homem saiu de um veículo e disparou várias vezes contra o futebolista do clube Árabe Unido de Colón, que viria a morrer pouco tempo depois numa clínica. O jogador tinha 33 anos e filhos.

Conteúdo publicado por Sportinforma