Futebol Internacional

11-05-2017 17:21

Mordida a Chiellini custou 80 mil euros a Suaréz

Documentos de jornal holandês revelam que o avançado uruguaio terá perdido dinheiro do seu patrocinador depois da ação insólita no Mundial 2014.
Chiellini e Suárez
Foto: AFP

Suárez mordeu Chiellini no jogo entre Itália e o Uruguai

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

Foi um ato insólito que fez Luis Suárez perder algum dinheiro. A mordidela do avançado uruguaio a Giorgio Chiellini, no Mundial 2014, resultou na perda de 80 mil euros por parte da Adidas.

Segundo revela o jornal espanhol El Mundo, que teve acesso a documentos da publicação holandesa NRC, a empresa alemã de equipamento desportivo enviou uma carta à LBP Bomore, empresa que geria os compromissos publicitários do futebolista, onde revelou que, "devido às ações de Luís", a empresa "foi forçada a cessar qualquer uso do Luis (na medida do possível) desde o incidente".

A empresa revelou que esta atitude "prejudicou a imagem do Luis e tem um efeito negativo nas nossas campanhas de marketing e da reputação da Adidas como patrocinadora", revelou esta carta.

Estes documentos revelam que o avançado, então no Liverpool, assinou em julho de 2010 um contrato com a Adidas que durava até 30 dias depois do final do Mundial de 2013. O rendimento, tendo em conta que o jogador atuava num clube de categoria A, resultava no seguinte: 350 mil euros na primeira temporada; 375 mil euros na segunda temporada e 400 mil euros nas duas últimas temporadas.

No entanto, depois do Mundial, o pagamento de 2014 ficou mais reduzido. "A Adidas não tem outra opção do que aplicar uma redução de 20% [no seu pagamento]", explicou a empresa. No total, foram 80 mil euros a menos que o uruguaio recebeu na sua conta.

No entanto, esta redução acabou por não mudar muito os rendimentos do jogador. Em maio de 2014, um mês antes de começar o Mundial, o jogador já tinha renovado o seu contrato com a Adidas até 2018, e que começava a 1 de agosto.

Desta forma, os 400 mil euros da temporada anterior já se tinham multiplicado por três, até a uma verba de um milhão e duzentos mil euros, quando o jogador mudou-se para Barcelona.

Conteúdo publicado por Sportinforma