Futebol

17-10-2016 16:02

Leipzig: a equipa mais odiada da Alemanha

Subiram do segundo escalão, mas não conseguiram convencer os adeptos. Contestação tem sido uma constante.
Leipzig festa

Jogadores do Leipzig festejam o golo

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

O RB Leipzig está a fazer uma campanha muito positivo no arranque de temporada na Alemanha. A equipa subiu este ano ao primeiro escalão do futebol germânico e tem estado a apresentar-se em boa forma na Bundesliga. Sem qualquer derrota em sete jogos, ocupa o terceiro lugar da classificação geral. Para já, seguem com o melhor registo de sempre de uma equipa promovida ao primeiro escalão. O recorde não é somente alemão. O bom arranque da equipa é o melhor de toda a Europa para uma formação recém-promovida.

Apesar do bom momento e da classificação, a equipa do Leipzig não é uma equipa que traz consenso aos adeptos da Bundesliga. De facto, a equipa patrocinada pelo Red Bull é a equipa mais odiada de toda a Alemanha.

Os motivos que levam a essa designação estão na forma como a formação chegou à Bundesliga. Em 2009, ainda o Leipzig se chamava SSV Markranstadt, da quinta divisão, quando a empresa de bebidas energéticas comprou o clube. A Red Bull assumiu-se como principal investidor na equipa e investiu um pouco mais de 100 milhões na equipa.

Com o investimento nos cofres do clube, o SSV Markranstadt passou a chamar-se RB Leipzig. O dinheiro injetado pela empresa multinacional foi utilizado no melhoramento de infraestruturas e na contratação de jogadores e deu bons resultado em muito pouco tempo. Em apenas sete anos, a equipa germânica subiu todos os escalões até chegar à Bundesliga.

Pelo caminho, a equipa germânica foi deixando adversários e um coro de criticas crescente. De acordo com a imprensa alemã, a forma como o RB Leipzig chegou ao topo não dá boa imagem do futebol às restantes equipas. Uma equipa que se tornou grande com a entrada de capital e de investimo não é bem aceite dentro do universo do futebol alemão.

As criticas e os insultos à ideologia da equipa têm crescido em paralelo com o sucesso da equipa. Como forma de protesto, houve até adeptos que se recusaram a atender o jogo da sua equipa contra o RB Leipzig. Os apoiantes do Borussia Dortmund (dos mais efusivos do Mundo) fizeram um boicote ao jogo frente à equipa patrocinada pela Red Bull. Os adeptos fizeram questão de não acompanhar a equipa à cidade alemã.

Apesar de ações como esta, a casa do RB Leipzig mantem-se cheia semana sim, semana não. O reduto dos germânicos acomoda perto de 43 mil pessoas e tem tido uma média de assistência fixadas nos 40 mil visitantes.

Perante toda a contestação, a Red Bull defendeu a sua equipa. A empresa afirmou que não é a única patrocinadora de uma equipa na Bundesliga. A multinacional levantou os exemplos do Bayern Leverkusen (Bayern), Wolfsburgo (Volkswagen) e Hoffenheim (SAP, de softwares de gestão).

A Red Bull realçou ainda que o seu investimento na equipa não se foca apenas no momento. Existe investimento que é aplicado no futuro do clube através do melhoramento do futebol de formação e das academias.

Com ou sem contestação, o RB Leipzig mantem a sua caminhada de estreia na primeira divisão alemã. Em sete jornadas, a formação orientada por Ralph Hasenhüttl venceu por quatro ocasiões e empatou em três jogos. Na terceira posição a apenas dois pontos do líder, o RB Leipzig segue apenas com o Bayer de Munique (+2 pontos) e o FC Colónia (+0 pontos) à frente da classificação.

Conteúdo publicado por Sportinforma