Liga dos Campeões

15-03-2017 15:40

Tapie lembra mão do benfiquista Vata para falar de corrupção

Bernard Tapie, antigo presidente do Marselha, deu uma entrevista ao jornal francês ´L´Equipe` onde falou da arbitragem do 6-1 que permitiu aos culés passarem para a fase seguinte.
Liga dos Campeões
Foto: Ben Stansall

Liga dos Campeões

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

A eliminação do PSG ante o Barcelona na Liga dos Campeões ainda está na ordem do dia. Bernard Tapie, antigo presidente do Marselha, deu uma entrevista ao jornal francês ´L´Equipe` onde falou da arbitragem do 6-1 que permitiu aos culés passarem para a fase seguinte. A propósito de arbitragens, o antigo dirigente lembrou o jogo em que o seu Marselha foi eliminado da antiga Taça dos Campeões pelo Benfica com um golo marcado por Vata, com a mão, em 1990 e que colocou os ´encarnados` na final da prova.

"Quando Vata nos eliminou com a mão, estava absolutamente convencido que o árbitro viu o lance. Como o golo foi validado, não pude deixar de pensar em coisas que pisavam o limite da desonestidade, como um pequeno acordo por um maço de notas, um presente, uma prostituta enviada ao quarto de hotel ou qualquer outra coisa em que se possa pensar", explicou. Tapie sublinhou ainda que que não acredita que tenha havido intenção do juiz em prejudicar o Marselha.

"Não há nenhuma dúvida que o árbitro cometeu um erro e já não há nenhuma dúvida que o árbitro o cometeu inconscientemente. Os árbitros são humanos, apaixonados pelo futebol como tu e eu, mesmo ao fim de tantos anos. Alimentam-se da admiração dos feitos de alguns jogadores e de alguns clubes", atirou.

O Benfica-Marselha de 1990 ainda está na cabeça de Tapie.

"Toda a gente disse que eu ia começar a comprar árbitros. Na realidade, contratei Franz Beckenbauer alguns meses depois. Ele foi treinador durante algum tempo e depois passou a diretor-desportivo. Era incrível. Os árbitros pediam-lhe autógrafos na bola de jogo. Beneficiámos imenso da sua imensa notoriedade. Ele deu-nos o seu prestígio", sublinha.

Tapie, que foi condenado em França por corrupção por ´comprar` resultados de futebol, sublinhou que já tinha ouvido falar de corrupção no seu tempo mas garante que nunca recorreu a estes métodos para vencer.

"Perdi uma final contra o Estrela Vermelha [em 1991, nos penáltis]. Se pudéssemos ganhar a Taça dos Campeões a recorrer a esses meios, era certo que o Estrela Vermelha não teria ganho", garantiu.

Ainda sobre o Barcelona 6-1 PSG, que teve muitos erros de arbitragem, o antigo presidente do Marselha acredita que não houve intenção do juiz alemão, Deniz Aytekin, em prejudicar os franceses.

"És alemão, apitas o Barcelona-PSG. E não tens nada a ver com o PSG. Nada. O clube que te faz sonhar é o Barça, não o Paris. Quando o Cavani é empurrado na grande área, não é a mesma coisa do que quando é Messi. É mesmo assim, sobretudo quando o clube mítico joga em casa. Vê como o PSG derrotou o Nancy, com um penálti inexistente. Os dirigentes do PSG têm de perceber isto ou deixar o futebol, porque vai funcionar sempre assim", recomendou.

Conteúdo publicado por Sportinforma