Borussia Dortmund

21-04-2017 17:01

Thomas Tuchel diz que detenção de suspeito do atentado pode ajudar equipa

A polícia alemã anunciou na manhã de hoje ter detido um homem suspeito de ter tentado dizimar a equipa germânica para poder especular a queda das ações na bolsa.
Thomas Tuchel dá indicações durante o jogo entre Mónaco e Borussia Dortmund
Foto: EPA/FRIEDEMANN VOGEL

Thomas Tuchel dá indicações durante o jogo entre Mónaco e Borussia Dortmund

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

O treinador do Borussia de Dortmund, Thomas Tuchel, considerou hoje que a detenção de um suspeito vai ajudar os seus futebolistas a superar o trauma do atentado de 11 de abril.

"Estou convencido que para todos nós, que fomos atingidos diretamente, é muito importante haver uma explicação. Se os motivos forem esclarecidos, isso vai ajudar-nos muito a superar", disse o técnico durante a conferência de imprensa de lançamento do jogo da próxima jornada da liga alemã diante do Borussia Moenchengladbach.

A polícia alemã anunciou na manhã de hoje ter detido um homem suspeito de ter tentado dizimar a equipa germânica para poder especular a queda das ações na bolsa.

"Para mim, é impossível compreender, emocionalmente ou racionalmente, que se possa fazer uma coisa assim", prosseguiu o técnico, acrescentando que os próximos jogos da sua equipa serão "entre parênteses", até porque diz não se sentir capaz de exigir aos seus jogadores o mesmo nível que vinham patenteando.

Touchel refere ainda que agora pretende encontrar um equilíbrio justo entra a exigência competitiva e o direito de respeitar os jogadores.

"O meu trabalho é encontrar um equilíbrio. Somos desportistas de alto nível, não precisamos de desculpas ou de álibis, mas esta situação é excecional", disse.

As medidas de segurança em redor da equipa, que para o técnico são compreensíveis, causam, no entanto, um sentimento de angústia: "Ver os policiais à nossa volta, fortemente armados, faz-nos sentir que a situação não é normal."

Entretanto, Hans-Joachim Watzke, diretor-executivo do clube, anunciou hoje que o Borussia está em vias de criar uma unidade de proteção aos seus jogadores.

"Efetuei nos últimos dias algumas entrevistas a especialistas em segurança, alguns ex-membros do GSG9 (unidade de elite da polícia) e do BKA (polícia criminal federal)", disse o patrão do Borussia Dortmund, acrescentando que o clube vai gastar muito dinheiro no reforço da segurança da equipa.

O Borussia de Dortmund foi vítima, em 11 de abril, de um atentado quando se encaminhava para o estádio para defrontar o Mónaco, na primeira mão dos quartos de final da Liga dos Campeões.

Na ocasião, explodiram três engenhos, tendo resultado feridos o defesa espanhol Marc Bartra e um policia que fazia escolta à equipa.

Conteúdo publicado por Sportinforma