Luisinho

18-05-2017 16:16

"Cheguei [ao Deportivo] há quatro anos e ainda não tive um ano tranquilo"

Defesa português do Deportivo da Corunha revela que compreende a raiva dos adeptos em não estarem agradados com as exibições da equipa
Luisinho
Foto: AFP/ MIGUEL RIOPA

Luisinho milita na equipa de Corunha

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

O futebolista português Luisinho, do Deportivo, considerou esta quinta-feira “normal a raiva” dos adeptos pela época do clube espanhol, que garantiu a permanência apenas na penúltima jornada do campeonato.

“Sabemos que não terminamos bem a temporada, que a imagem deixada não foi boa e é normal a raiva dos adeptos. Têm sido várias semanas assim, compreendo-os e tenho de aceitar”, disse Luisinho, considerado o melhor jogador de abril do Deportivo.

O defesa Luisinho, de 32 anos, que se encontra a recuperar de uma entorse no joelho, lamentou não ter tido uma temporada tranquila na equipa da Corunha, que representa desde 2013/14, então na II Divisão, proveniente do Benfica.

"Cheguei aqui há quatro anos e ainda não tive um tranquilo. Sempre a lutar por não descer. Todos os anos dizemos que temos um bom plantel, mas, no final, acabamos sempre a ‘brincar com o fogo’”, acrescentou o defesa português.

Luisinho defende que “o clube merece mais” e que há que repensar a estratégia para o futuro, salvaguardando o aspeto positivo de que o ambiente no balneário foi mais calmo e melhor do que da época passada e que, nesse aspeto, a “meta foi cumprida”.

Mais difícil de atingir, apenas na penúltima jornada, foi o objetivo da permanência na I Liga do futebol espanhol, traçado pelo Deportivo no início da temporada, que o jogador atribuiu aos “nervos e à tensão”.

“Não foi da melhor forma [garantir a permanência], mas conseguimos ficar”, adiantou Luisinho, considerando que a equipa foi “de mal a pior”, depois de, por momentos, ter estado “bastante bem”.

A nível pessoal, Luisinho, que tem mais um ano de contrato, considerou a época “bastante positiva” e mostrou-se grato aos colegas e técnicos, respetivamente Gaizka Garitano e Pepe Mel, e aos adeptos, que sempre estiveram do seu lado.

Luisinho, que esteve para deixar o Deportivo na temporada passada, desavindo com o então técnico Victor Sánchez del Amo, manifestou ainda o desejo de prolongar o vínculo contratual, por gostar do clube, da cidade e dos adeptos.

Conteúdo publicado por Sportinforma