André Villas-Boas

06-03-2013 22:04

Bale «está mais ameaçador agora»

O Tottenham joga esta quinta-feira com o Inter de Milão.
Bale «está mais ameaçador agora»
Foto: AFP

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

O treinador do Tottenham, André Villas-Boas, defendeu esta quarta-feira que Gareth Bale pode «causar mais danos» ao Inter na primeira mão dos oitavos de final da Liga Europa em futebol do que no confronto de 2010.

O internacional galês, de 23 anos, elevou o nível do seu jogo e já leva 20 golos marcados, esperando Villas-Boas que ele volte a ser determinante no confronto de quinta-feira, depois de há três anos ter feito um "hat-trick" em frente ao Inter, em San Siro, palco do jogo.

«Penso que Gareth evoluiu como jogador e está mais ameaçador agora», disse o treinador português, que recordou o Inter-Tottenham de há três anos, na qual Bale «fez o que fez» perante um dos «melhores laterais do mundo», o brasileiro Maicon, «trazendo a equipa de novo à discussão da eliminatória».

Villas-Boas lembrou que Bale «joga agora numa posição distinta» e que se tornou num jogador diferente do que era, «um grande jogador, muito mais completo» e com capacidade para «mudar o rumo de um jogo», como se tem visto nos últimos jogos.

Bale foi um jogador chave na recente série de 12 jogos sem perder do Tottenham, ao marcar nove golos em sete jogos, o que permitiu à equipa subir ao terceiro lugar, ultrapassando na tabela o Chelsea.

O treinador português, que desvalorizou aquilo a que apelidou como «especulações» sobre a transferência de Bale para o Real Madrid, não se coibiu de recordar a sua passagem pelo Inter, integrado na equipa técnica liderada por José Mourinho.

Para o treinador do Tottenham, deixar o Inter para ingressar na Académica, como treinador principal, foi «um momento difícil» na sua carreira profissional.

«Nessa altura eu trabalhava para o José [Mourinho] como observador de jogos dos adversários e falei com ele porque queria ter maior envolvimento no trabalho diário com a equipa», explicou Villas-Boas, para quem o passo que deu foi «difícil», mas, «provavelmente, o passo certo».