Liga Europa

19-04-2017 22:26

Besiktas anuncia recurso de decisão da UEFA, Lyon aceita sanção "justa"

Os dois clubes voltam a defrontar-se esta quinta feira, no jogo da segunda mão da eliminatória, que se joga em Istambul.
UEFA abre processo disciplinar a Lyon e Besiktas
Foto: SAPO Desporto

Os dois clubes voltam a defrontar-se esta quinta feira, no jogo da segunda mão da eliminatória, que se joga em Istambul.

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

O Besiktas anunciou hoje que vai recorrer da sanção que foi imposta pela UEFA ao clube turco e ao Lyon, na sequência dos incidentes ocorridos no jogo entre as duas equipas para a Liga Europa de Futebol.

“Não se pode considerar justa nem aceitar esta sanção (...), que é parcial quando nos imputa responsabilidades em acontecimentos nos quais não temos qualquer culpa (...). Vamos interpor o correspondente recurso junto da UEFA”, declarou o Besiktas em comunicado divulgado na sua página na Internet.

Lyon e Besiktas foram punidos com a exclusão das competições europeias, com pena suspensa durante dois anos, devido aos incidentes ocorrido no jogo entre as duas equipas na Liga Europa de futebol, anunciou hoje a UEFA.

Nos próximos dois anos, o clube francês arrisca ser impedido de participar na Liga dos Campeões ou na Liga Europa caso volte a infringir as regras de segurança do organismo que rege o futebol europeu, acontecendo o mesmo com o Besiktas.

Os dois emblemas foram ainda condenados a pagar uma multa de 100 mil euros.

O Comité Disciplinar da UEFA considerou que os adeptos dos dois clubes foram responsáveis pelos incidentes ocorridos na última quinta-feira, em França, no duelo da primeira mão dos quartos de final da Liga Europa de futebol.

O encontro começou com 46 minutos de atraso devido a uma invasão do relvado por parte dos adeptos do Lyon, que alegadamente tiveram que fugir para o relvado por estarem a ser atingidos nas bancadas por objetos vindos do local onde estavam os apoiantes do Besiktas.

O Lyon, por seu turno, indicou que aceitará a sanção decretada pela UEFA, uma decisão que o presidente do clube, Jean-Michel Aulas considerou “justa”, apesar de denunciar os “níveis de violência” demonstrados por parte dos adeptos turcos.

Os franceses, com o português Anthony Lopes na baliza, venceram o jogo por 2-1, num encontro em que Ricardo Quaresma não foi utilizado pelos turcos, devido a lesão.

Conteúdo publicado por Sportinforma