Futebol / Inglaterra

22-04-2016 16:19

Cantona só lamenta não ter usado "mais força" na agressão a adepto

O antigo jogador francês recordou o momento em que pontapeou um adepto do Crystal Palace.
Éric Cantona
Foto: MARTIAL TREZZINI / EPA

Éric Cantona, antigo jogador francês.

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

O francês Éric Cantona participou numa sessão de perguntas colocadas por leitores da revista inglesa FourFourTwo e passou em revista alguns dos momentos mais marcantes da sua invulgar carreira.

Um dos episódios mais insólitos foi, naturalmente, o pontapé que Cantona deu a um adepto do Crystal Palace em 1995, na sequência de um insulto que lhe fora dirigido. O francês garante não estar arrependido e só lamenta não ter usado mais força quando tentou esmurrar o adepto em questão.

"Se me custou aterrar de rabo no chão? Eu aterrei com os meus pés, não com o rabo, como o leitor diz. É por isso que tentei dar-lhe um soco. Mas eu não o esmurrei com força suficiente. Devia ter-lhe dado um murro com mais força", disse Cantona em resposta a um adepto.

O antigo jogador admitiu, porém, que o seu lado mais teatral teve influência no momento, visto fazer parte de uma imagem que vendia e que lhe rendeu muito em patrocínios.

"Eu representei um pouco naquele momento, em Selhurst Park. A situação era um drama e eu era um ator. Faço as coisas a sério sem me levar a mim próprio a sério. E acho que a Nike reconheceu esse lado do meu caráter e usou-o muito bem", explicou.

"Nunca pensei que tinha a responsabilidade de não dar aquele pontapé por causa de ser quem sou. Nada disso, eu era apenas um jogador de futebol e um homem. Não era ninguém superior, era apenas alguém que queria fazer o que lhe apetecesse. Se quero dar um pontapé num adepto, eu dou um pontapé num adepto. Não sou um modelo, nem sou um professor que diz às pessoas como se comportarem. Acho que quanto mais se olha à nossa volta, mais percebemos que a vida é um circo".

Conteúdo publicado por Sportinforma