Liga Inglesa

07-04-2017 17:42

Depois de Inglaterra, Espanha rende-se a Marco Silva

Jornal espanhol Marca destacou a prestação do português na Premier League onde é apelidado de ‘Mini Mou’.
Marco Silva
Foto: PETER POWELL / EPA

Marco Silva, treinador do Hull City

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

Não há como evitar, Marco Silva é o treinador do momento. Depois de ter sido muito elogiado pela imprensa inglesa pelo trabalho que tem vindo a fazer no Hull City, o treinador luso voltou a ser motivo de análise, mas pela imprensa espanhola.

O jornal Marca analisou o percurso do técnico português desde que assumiu o controlo da equipa britânica e colocaram-no num patamar semelhante ao de José Mourinho. Sob o título de ‘Mini Mou’, o trabalho de Marco Silva desde os tempos em que deixou o Olympiakos para assumir o Hull City foi o tema em análise.

O trabalho do antigo treinador do Sporting tem sido muito valorizado com duas vertentes em destaque. À partida, a política de transferências. Quando chegou aos ‘tigers’, Marco Silva promoveu algumas alterações aos jogadores que tinha à sua disposição.

Para além das chegadas de Evandro (FC Porto) e Markovic (Sporting) da liga portuguesa, o treinador contratou Ranocchia, N'Diaye, Grosicki, Niasse e Elabdellaoui, jogadores que se tornaram nucleares na formação do Hull City.

Outra das questões levantadas pela imprensa espanhola é a ‘fortaleza’ que o técnico levantou em torno do seu reduto. Desde a sua chegada, tornou-se muito complicado para qualquer clube levar três pontos de casa do Hull City. A boa prestação nos jogos ‘caseiros’ é um dos motivos pelos quais é apelidado por ‘Mini Mou’ que, nos tempos de Chelsea, fechou as portas de Stanford Bridge.

Destaque ainda para a quantidade de pontos que Marco Silva conquistou no curto espaço de tempo. Desde que assumiu o ‘aflito’ Hull City, apenas três equipas conquistaram mais pontos do que os 17 que já somou: Chelsea e Tottenham (23 pontos) e Everton (21 pontos).

Marco Silva foi o treinador escolhido para assumir o Hull City numa altura em que os ‘tigers’ estavam nas posições de despromoção. O treinador português tinha deixado recentemente o Olympiakos devido a ‘motivos pessoais’ e aceitou o desafio da Liga Inglesa onde tem vindo a conquistar adeptos do país e de fora de Inglaterra.

Conteúdo publicado por Sportinforma