Inglaterra

23-05-2017 10:42

Clubes de Manchester lamentam e manifestam apoio às famílias das vítimas

Pelo menos 22 pessoas morreram e 59 ficaram feridas numa explosão na Arena de Manchester.
Pelo menos 22 pessoas morreram e 59 ficaram feridas numa explosão na Arena de Manchester
Foto: EPA/NIGEL RODDIS

Pelo menos 22 pessoas morreram e 59 ficaram feridas numa explosão na Arena de Manchester

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

Os dois clubes de futebol mais importantes de Manchester, o City e o United, lamentaram as mortes causadas por um atentado perpetrado na segunda-feira à noite e manifestaram o seu apoio às famílias das vítimas.

“Estamos profundamente chocados com os terríveis acontecimento de ontem [segunda-feira] à noite na Arena de Manchester. Os nossos pensamentos e orações estão com todas as vítimas”, refere o Manchester United, equipa orientada pelo português José Mourinho, em comunicado.

Pelo menos 22 pessoas morreram e 59 ficaram feridas numa explosão na Arena de Manchester, no norte da Inglaterra, na segunda-feira, no final de um concerto da cantora Ariana Grande, segundo o balanço mais recente da polícia.

Também o Manchester City, publicou uma mensagem de pesar pelos acontecimentos: “Foi com profunda tristeza que recebemos as notícias dos terríveis acontecimentos na Arena Manchester. Os nossos pensamentos estão com as pessoas envolvidas e com as suas famílias”.

Alguns jogadores dos dois clubes também manifestaram o seu pesar pelos acontecimentos nas suas contas pessoais em várias redes sociais, e clubes como o Arsenal e o Everton já lamentaram o sucedido.

O Ajax, da Holanda, que na quarta-feira defronta o Manchester United na final da Liga Europa, utilizou a conta oficial no Twitter para lamentar os acontecimentos, que as autoridades britânicas estão a tratar como "um incidente de terrorismo".

“Desde Amesterdão com amor para Manchester, os nossos pensamentos estão com as vítimas e com as suas famílias”, refere o clube holandês.

Segundo o comandante da polícia de Manchester, Ion Hopkins, as autoridades suspeitam que o responsável foi apenas um homem, que morreu na explosão e que “transportava um engenho explosivo improvisado, que detonou”.

Conteúdo publicado por Sportinforma