Liga Italiana

29-05-2017 12:31

Francesco Totti: O adeus do Imperador Romano

Médio deixou os relvados depois de um quarto de século a defender o emblema da Roma.
Totti no jogo de despedida
Foto: EPA/CLAUDIO PERI

Francesco Totti, jogador da Roma

Por José Rafael Lopes sapodesporto@sapo.pt

Pode não parecer, mas o futebol mundial acordou de forma diferente esta manhã. Esta segunda-feira marca o primeiro dia sem Francesco Totti nos relvados. O ‘eterno’ capitão da Roma despediu-se do futebol de forma definitiva após 28 anos ao serviço da ‘sua’ Roma.

Perante um Estádio repleto de adeptos que encheram as bancadas para ver o italiano em ação pela última vez, Totti entrou na segunda parte para um derradeiro encontro no Olímpico de Roma. O que fez no encontro não é importante porque o verdadeiro momento do encontro entre os ‘romanos’ e o Génova aconteceu após o apito final.

O camisola 10 da Roma fez mais de uma volta olímpica ao Estádio para cumprimentar os adeptos que já mostravam caras com lágrimas que insistiam a cair pelo canto do olho. Visivelmente emocionado, Francesco Totti seguiu então para o centro do relvado onde uma enorme camisola com o dorsal 10, o seu número, tinha sido colocada.

O discurso emocionado envolveu família, uma história com mais de um quarto de século e várias referências aos momentos que passou juntamente com os adeptos enquanto representou a Roma.

Confira o momento da despedida de Totti:


A homenagem de Totti foi sentida por muito e até os mais novos não ficaram indiferentes à ‘aura’ que irradiava do médio no momento da despedida. É para quem não acompanhou a longa carreira de Totti que é necessário recordar que o jogador representou um único clube na sua carreira. Desde o início até ao fim, o ‘giallorossi’, as cores da Roma, foram as únicas que representou com uma única exceção: Camisola de Itália, mas já lá iremos.

Para trás ficaram 28 anos num percurso que começou nos juniores no longínquo ano de 1989. Após quatro anos na formação da equipa romana o talento de Totti começou a mostrar-se à equipa principal. A temporada 1992/93 marca a estreia pela equipa principal embora tenha apenas feito dois jogos nesse ano. Aos 16 anos, Vujadin Boškov lançou aquele a quem, mais tarde, chamaria ‘Imperador’ de Roma.

Na temporada seguinte aumentou para 10 encontros antes de se assumir como jogador titular na Roma e dar mais um passo rumo à carreira brilhante que assinou enquanto jogador de futebol que admitiu que preferia falar com os pés numa bola ao invés de um microfone ou conferência de imprensa.

Apesar de não ter o palmarés mais completo ou recheado do Mundo, Totti conquistou corações de adeptos de futebol por todo o Mundo. Na sua Roma, conquistou apenas um título de campeão italiano. Na época 2000/01, os ‘romanos’ superiorizam-se ao domínio das equipas de Milão e da Juventus para conquistar a Serie A.

Totti levantou o título numa temporada em que cumpriu 36 jogos e fez 16 golos. A seu lado jogavam outros grandes nomes do futebol como Gabriel Batistuta e Vincenzo Montella. A somar a esse campeonato, Totti acrescenta ainda ao seu palmarés duas Taças de Itália e duas Supertaças de Itália.

No capitulo internacional, Frencesco Totti alcançou o topo do Mundo e sagrou-se vencedor do Mundial com a seleção de Itália. Em 2006, a ‘Squadra Azzurra’ bateu a França na final do Mundial para a quarta conquista do troféu por parte da seleção italiana.

Numa final marcada pela cabeçada de Zidane a Materazzi que lhe valeu uma expulsão, Totti teve o melhor momento das suas 58 aparências por Itália onde marcou nove golos por Itália.

A saída que muitos tentaram, mas que foi sempre recusada

A qualidade de Totti durante os seus anos aéreos trouxeram a cobiça de vários emblemas da Europa do futebol. No entanto, apesar dos vários contactos, das várias propostas e abordagens, Francesco nunca virou costas à sua cidade, ao seu clube e aos seus adeptos.

O Manchester United de Alex Ferguson sempre foi um dos clubes que mais ligados estiveram a uma contratação de Totti, mas sem sucesso. O técnico galês tentou convencer por várias vezes o internacional italiano com resultados desapontantes para os ‘red devils’.

Em Itália, houve mesmo quem tentasse ‘roubar’ Totti à Roma, mas o “menino que se tornou homem em Roma”, como disse na hora da despedida perante as bancadas do Estádio Olímpico, não sentiu tentação de deixar a capital italiana, a cidade que o viu nascer e crescer.

Adeus aos relvados, mas não à Roma

Totti vai pendurar as botas, mas vai continuar a servir o emblema italiano. Ainda não é certo de quem forma é que o jogador vai integrar a estrutura da Roma, mas o futuro do médio passa pelos escritórios dos ‘giallorossi’ onde vai continuar a trabalhar.

O ‘Imperador’ de Roma pode até nem vir a ter a mesma influência no futebol do clube, mas já cimentou o seu lugar na história da equipa. Francesco Totti passou de um atleta júnior como outros tantos para um jogador histórico com um lugar marcado para sempre no Olímpico de Roma. Pelo meio, houve 28 anos de futebol com o seu brinquedo favorito que sempre foi… uma bola de futebol.

Em relação ao último jogo... A Roma venceu por 3-2 o Génova com um golo no último minuto que ditou a presença automática na Liga dos Campeões, uma vez que ultrapassaram o Nápoles na classificação. Um grande encontro de futebol com ingredientes para um jogo de emoções até ao fim. Ficou para segundo plano porque uma Lenda deixou os relvados no final.

Conteúdo publicado por Sportinforma