Liga SAPO Desporto

07-11-2012 08:55

Jogo de “gala” do SAPO acaba em vitória por 8-4 sobre a ONEY

O SAPO entrou a ganhar na Taça da Liga com exibição de Luxo do tridente ofensivo : Jean Paul, Moreiras e Catalão.
Jogo de “gala” do SAPO acaba em vitória por 8-4 sobre a ONEY

Por Rui Joaquim sapodesporto@sapo.pt

SAPO e ONEY defrontaram-se na primeira jornada da Taça da Liga SAPO Desporto, com a consciência de que a vitória é um pequeno passo para a qualificação, num grupo considerado de “morte”.

O SAPO entrou melhor no jogo e logo no primeiro minuto Mário Moreiras abriu o marcador num fantástico cabeceamento chapeu. Marlon cruzou e o número 5 a fazer um movimento inesperado a apanhar de surpresa o guardiao da ONEY.

Mas o golo nem deu para saborear, porque um minuto depois Claudio Carvalho fez um dos seus lançamentos longos mortiferos que terminou no encosto de Rui Tomásio.

O SAPO parecia ter hibernado, e aos 6 minutos a ONEY conseguiu dar a volta por André Daniel. O número 90 completamente livre de marcação encostou um passe de Joel Melo.

A perder por 2-1 o SAPO não tremeu e Jean Paul aproveitou um canto para subir mais alto que os adversários, e cabecear para o 2-2.

A reviravolta do sapo deu-se aos 19 minutos por Rui Catalão que encostou para o 3-2, a passe de Mário Moreiras. Os centrais da ONEY a ficarem “mal na fotografia”.

Pouco depois, Jean Paul sofreu uma falta perigosa de Rui Tomásio dentro da área. Grande penalidade assinalada e o número 14 a bater forte, com Luís Miranda ainda a tocar com a ponta dos dedos.

O jogo foi para intervalo com 4-2 para o SAPO e com a ONEY ligeiramente atordoada com o poderio do adversário.

Aos 2 minutos do segundo tempo, uma bomba de Jean Paul terminou em golo, com Luís Miranda a não segurar a bola.

A ONEY via jogar o SAPO, que parecia uma equipa indestrutível. O 6-2 surgiu num encosto de Pontes a remate do capitão Paulo Guerrinha.

Os momentos menos interessantes da partida começaram a aparecer aos 33 minutos, quando Pedro Januário faz penalty sobre Cláudio Carvalho. Na conversão, Ricardo Borges trouxe um novo alento à ONEY, fazendo o 6-3.

Apenas um minuto depois, nova grande penalidade agora por mão de André Vilela , do SAPO. Era a oportunidade de “ouro” da ONEY voltar ao jogo, mas Cláudio Carvalho permitiu a defesa de Januário.

A estocada final do SAPO, deu-se com um golo de Rui Catalão. O número 17, rematou à trave, e na recarga de cabeça fez o 7-3.

A dureza do jogo foi resultando em amarelos sucessivos, ora por protestos, ora por entradas mais feias. A ONEY beneficiou mesmo de uma terceira grande penalidade, que António Calão converteu ao minuto 46.

Mas como os jogos só terminam no fim, na última jogada do encontro, André Vilela fez o 8-4. Era um desfecho dramático para uma ONEY que se perdeu durante o jogo, e não se conseguiu voltar a encontrar. O SAPO está agora na luta pela qualificação e vai agora aguardar pelos jogos com a ROFF e EMPARK para saber o seu destino.