Mundial 2018

24-03-2017 07:28

Messi coloca Argentina mais perto da qualificação

Jogador do Barcelona marcou o único golo da vitória sobre o Chile.
Argentina vs Chile
Foto: Lusa

Leo MEssi, jogador argenitno

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

Um penálti convertido por Lionel Messi foi quinta-feira suficiente para a Argentina bater em casa o Chile por 1-0 e colocar-se em zona de apuramento direto para o Mundial2018, precisamente às custas dos bicampeões sul-americanos em título.

Aos 16 minutos, o ‘capitão’ da ‘albi-celeste’ não tremeu perante Claudio Bravo, num cenário idêntico ao da última final da Copa América, então com o jogador do ‘Barça’ a atirar por cima da barra, no desempate por grandes penalidades.

Desta vez, a história foi diferente e o 58.º golo de Messi, em 116 internacionalizações, valeu mesmo o triunfo à Argentina, que teve, porém, de sofrer muito, sobretudo na segunda parte, do jogo da 13.ª jornada da zona sul-americana.

Num relvado muito mal tratado, no Estádio Monumental, em Buenos Aires, os chilenos tiveram várias ocasiões para restabelecer a igualdade, com destaque para um livre direto de Alexis Sanchéz à barra, aos 65 minutos.

Com este resultado, a Argentina, que venceu cinco de seis jogos com Messi e apenas um de sete sem o ‘capitão’, saltou do quinto para o terceiro posto, apenas atrás de Brasil e Uruguai, que se defrontaram em Montevideu, onde o ‘escrete’ triunfou por 4-1, com um ‘hat-trick’ de Paulinho.

O jogador do Guangzhou Evergrande, aos 19, 52 e 90+2 minutos, e Neymar, que aos 74 apontou o seu 51.º golo em 76 jogos pelo ‘escrete’, selaram o sétimo triunfo em sete jogos dos brasileiros sob o comando de Tite, depois de Edinson Cavani inaugurar o marcador aos nove, de penálti.

No Brasil, o benfiquista Ederson não saiu do banco, enquanto pelo Uruguai alinharam os 90 minutos o portista Maxi Pereira e o ‘leão’ Coates.

Se a Argentina (22 pontos) entrou para os lugares de apuramento direto, apenas atrás de Brasil (30) e Uruguai (23), o Chile (20 pontos) saiu, caindo para sexto, ultrapassado pela formação ‘albi-celeste’ e também pela Colômbia (21), vencedora por 1-0 na receção à Bolívia.

O ‘capitão’ James Rodríguez decidiu um jogo de sentido único, ao marcar, aos 83 minutos, na recarga a uma grande penalidade que ele próprio falhou e Carlos Lampe defendeu, mas, para seu azar, para onde estava o jogador do Real Madrid.

Para o quinto lugar, que vale um lugar no ‘play-off’, caiu, com os mesmos pontos do Chile, o Equador, ao perder por 2-1 no reduto do Paraguai, ainda sétimo (18), mas na corrida.

Bruno Valdez, aos 12 minutos, e Junior Alonso, aos 65 minutos, apontaram os tentos dos paraguaios, enquanto o ex-‘leão’ Felipe Caicedo marcou, aos 70, o golo dos equatorianos, após mão do autor do segundo dos locais.

Por seu lado, o Peru (oitavo, com 15 pontos) ficou mais longe do apuramento, ao ficar-se por uma igualdade (2-2) no reduto da lanterna-vermelha Venezuela, que chegou ao intervalo a vencer por 2-0, com tentos de Mikel Villanueva (24 minutos) e Romulo Otero (40).

O benfiquista Andre Carrillo marcou com pouco mais de 20 segundos na segunda parte – viria a ser substituído, aos 78 - e Paolo Guerrero faturou aos 64 minutos, mas o Peru só conquistou um ponto, perante uma Venezuela que teve Jhon Murillo (Tondela) até aos 84 minutos.

Na zona sul-americana, os quatro primeiros classificados qualificam-se diretamente para a fase final do Mundial2018, enquanto o quinto disputa um ‘play-off’ intercontinental com o vencedor da Oceânia.

Conteúdo publicado por Sportinforma